Assine o fluminense

Entre mãe e filho

Paulo Gustavo e Déa Lucia estreiam ‘O filho da mãe’ dia 6 no Caio Martins

Paulo Gustavo e Déa Lucia em um dos ensaios antes da estreia em Niterói

Divulgação

De clássicos como Noel Rosa até a música pop de Ludmilla, Paulo Gustavo e sua mãe, Déa Lucia, estarão juntos em cena a partir de 6 de abril, na estreia da turnê nacional de “O Filho da Mãe”, no Ginásio Caio Martins, em Icaraí. No show musical, os dois vão cantar e contar as divertidas histórias de tantos anos de convivência, espelho da linda relação de companheirismo que mãe e filho sempre tiveram.

“A gente quis fazer uma brincadeira: a minha mãe já é conhecida pelo sucesso da Dona Hermínia, de ‘Minha mãe é uma peça’, que respingou nela. O pessoal já conhece ela também pelas redes sociais. Não é algo que nasceu ‘do nada’, já existia essa brincadeira nossa. Eu quis fazer um show que é uma mistura com stand-up comedy. Minha mãe vai fazer stand-up junto comigo.É um show de teatro com música. Estou morrendo de rir com mamãe nos ensaios. A gente está muito feliz por, mais uma vez, começar a turnê por Niterói, que é pé quente. A gente nasceu aqui e tem todo um significado começar por aqui”, explica o ator. 

Após a estreia estrategicamente agendada em Niterói, cidade natal da dupla, as apresentações seguem por Goiânia, São Paulo, Campinas, Santos, Brasília, Belo Horizonte, Novo Hamburgo, Porto Alegre, João Pessoa, Recife, Rio de Janeiro e Curitiba. A dupla vai contar histórias, experiências de vida, memórias engraçadas e cantar um vasto repertório, que vai de “La vie en rose”, de Édith Piaf, a Anitta, passando por música infantil, como “O Carimbador Maluco” (Plunct, Plact, Zum), Noel Rosa, Ari Barroso, Pinxinguinha, Vinicius de Moraes, Ludmilla, Pablo Vittar.

"Minha mãe vai fazer stand-up junto comigo. É um show de teatro com música” disse o ator Paulo Gustavo

Divulgação

“O povo acha que a Dona Ermínia sou eu, e ela realmente tem a minha maneira extrovertida de ser. Digo que Dona Ermínia é um clã: minha avó era ela, minha mãe era ela, eu sou ela. Como o Paulo Gustavo brinca muito comigo e eu falo palavrão, então as pessoas acham que vai ser maravilhoso eu subir no palco com ele, cantarmos juntos. Estou aqui aprendendo a fazer um pouco de comédia”, ressalta Déa, adorando o desafio aos 72 anos.

“A gente vai trocar”, diz Paulo brincado: “Eu vou cantar como ela cantava e ela vai fazer stand-up como eu faço”. Mas logo é rebatido pelo mãe: “Igual a você não, que eu não consigo”, interrompe Déa, bem-humorada.

“Claro que consegue, porque eu já estou morrendo de rir contigo nos ensaios”, responde Paulo, completando: “Quando você vai ver uma pessoa que canta na noite, o show não tem muita regra, canta-se de tudo, e é isso que a gente vai fazer no palco: a gente vai cantar e contar de tudo”, adianta.

Com direito a uma banda de feras e direção musical de Zé Ricardo, o show nasceu da vontade de Paulo Gustavo resgatar o passado de Déa, que teve uma carreira de cantora até o início dos anos 2000, quando formou um grupo responsável por animar festas de casamento, eventos, bailes e até serestas. 

“Mamãe sempre quis ser cantora. Quando sustentava a gente, trabalhava em colégios durante o dia e cantava à noite, mas nunca fez um show assim, com produção, cenário e banda. Quis dar este presente e fazer esta homenagem para ela”, conta o ator.

A ficha técnica conta com cenografia de Zé Carratu, iluminação de Marcos Olívio e figurino de Felipe Veloso. Paulo e Déa estarão acompanhados por Claudio Costa (guitarra), Marcelo Linhares (baixo), Mauricio Piassarollo (teclado) e Wallace Santos (bateria).

Dividido por blocos temáticos, o espetáculo começa com standards de bossa nova, como “O Barquinho” e “Lobo Bobo”, entre outras lembranças afetivas do passado musical deles, como “Faceira”, canção de Ary Barroso que Paulo gostava de ouvir na voz da mãe na infância. Entre uma brincadeira e outra, eles prepararam um set em que vão interpretar hits de boate, cada um de sua época. É quando se misturam sucessos de Wanderléa (“Pare o Casamento”) com Anitta (“Bang”) e Preta Gil (“Sinais de Fogo”). 

O Ginásio do Caio Martins fica na Rua Presidente Backer s/n – Icaraí. Dia 6 de abril, às 19h30. Preço: Plateia – R$ 150 (inteira) / Arquibancada – R$ 80 (inteira). 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Jussara Reis
Muito chateada ,esgotou muito rápido ,não consegui comprar
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top