Assine o fluminense

Entre o deboche e a beleza

Eduardo Dussek é a atração da série ‘Show das 4’, amanhã, no Teatro da UFF

Repertório da apresentação passa pelo rock nacional e MPB, chegando ao samba e ao carnaval, sempre com um clima de “teatro de revista”

Robson Leitão / Divulgação

Seguindo com a programação especial de pré-carnaval da cidade, o Teatro da UFF recebe nesta quarta-feira (13), às 16h, o novo show de Eduardo Dussek “Enquanto houver Carnaval em mim”, que também abre a programação de 2019 da série “Show das 4”. 

O cantor, compositor, músico, ator e diretor de teatro com mais de 40 anos de carreira apresenta um show solo, encarando o desafio como uma oportunidade de sair de zona de conforto.  

“Foi um convite inusitado da curadoria do Teatro da UFF, que propuseram um show de carnaval solo, só eu e piano. Aceitei o convite como um desafio, e sabia que faria um show mais aprofundado, fora da minha zona de conforto. Não teria um bandão atrás. Optei por um show divertido, meio filosófico, um pouco romântico, mas com textos engraçados ao mesmo tempo. Acho que o público pode esperar boa música e gargalhadas”, conta Dussek, que ainda ressalta a importância do carnaval e sua relação com a festa do povo: “O povo precisa extravasar! Particularmente, não sou mais tão ligado ao carnaval, mas ainda gosto muito de fazer shows carnavalescos, fazendo a galera cantar, pular, se divertir, ou cantar músicas de carnaval sob outro prisma”. 

Segundo Eduardo, o repertório do espetáculo está bem eclético, passando pelo rock nacional e MPB, porém, a seleção prioriza canções bonitas, reflexivas e divertidas, abordando assuntos ligados ao carnaval, mas não necessariamente marchinhas ou sambas. “Manhã de Carnaval”, de Antonio Maria e Luiz Bonfá; “Marcha da quarta-feira de cinzas”, de Carlos Lira; e “Adeus Batucada”, de Sinval Silva, são umas das canções que estarão presentes. Sem falar nos seus sucessos como “Nostradamus”, “Aventura” e “Barrados no Baile”, todos acompanhados de minidiscursos que antecedem as canções, repletos de bom humor e histórias carnavalescas.  

“Um carnaval inesquecível foi no ano de 1989, no desfile da Beija-Flor, com o enredo ‘Ratos e Urubus, Larguem Minha Fantasia’, do meu amigo Joãosinho Trinta. Todos saímos vestidos de mendigo, com roupas feitas de lixo e uma turma de artistas ensaiada por Amir Haddad. Foi um papel tão marcante dentro de um anonimato saudável, que fui capa de jornal, sem que ninguém imaginasse que era eu ali caracterizado como homem-lixo”, revela o cantor. 

Carreira – Eduardo Dussek (61) nasceu em Copacabana. Estudou música, canto, teatro e arquitetura. Suas interpretações e composições unem bom humor e melodias elaboradas, passeando pelo rock, samba, carnaval e MPB. 

Com apenas oito anos, compôs sua primeira canção popular, chamada “A Baianinha”, uma marchinha carnavalesca em homenagem à saudosa Carmen Miranda, que conheceu em imagens vistas em museus do Rio, achando que se tratava de uma personagem de Walt Disney. Este episódio despertou seu interesse pela música popular brasileira. Iniciou sua carreira musical como pianista de teatro. Em meados dos anos 70, foi descoberto por Nelson Motta, o compositor e produtor Sergio Natureza e apadrinhado por Gilberto Gil. 

Teve sua primeira canção gravada na voz de Marilia Pêra, “Alo Alô Brasil”, na qual, por coincidência, homenageava a pequena notável. Teve forte formação teatral, iniciando-se no palco aos 16 anos, como pianista da comédia musical, trabalhando com Marco Nanini, Marieta Severo e Camila Amado. A partir disto, adotou o tom irreverente, em que mistura humor, elementos circenses, de teatro de revista, carnaval, sempre com toques de drama, deboche e críticas políticas. 

Nos anos 80, lançou a canção “Nostradamus”, fazendo uma brincadeira sobre o apocalipse, alcançando o sucesso nacional. Já nos anos 90, fez parte da novela da extinta TV Manchete “Xica da Silva”, e fez parte de um musical sobre a vida de Carmen Miranda, chamado “Adeus Batucada”, escrevendo posteriormente uma biografia sobre a sambista luso-brasileira e lançando um songbook com o repertório da artista.

Dussek teve inúmeras canções como tema de novelas e muitas outras foram interpretadas por outros grandes nome da música, como Ney Matogrosso, Zizi Possi e Maria Bethânia. 

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top