Assine o fluminense

Jackson do Pandeiro: 100 anos em exposição

Artista ganha mostra na Sala Carlos Couto no mês do centenário

Jackson do Pandeiro, que completaria 100 anos em 31 de agosto, tem trajetória contada na exposição

Divulgação

Por André Bernardo 

A Sala Carlos Couto – anexa ao Teatro Municipal de Niterói – vai homenagear, a partir desta quinta (8), às 19h, o cantor, compositor e instrumentista Jackson do Pandeiro, que completaria 100 anos no próximo dia 31 agosto, com a exposição “100 anos do Ritimista Jackson do Pandeiro”. A exposição ficará aberta ao público até 30 de agosto.
 
A mostra, que tem a curadoria de Teca Nicolau, contará um pouco sobre a trajetória de vida e obra deste grande músico, por meio de fotografias e alguns discos de vinil. 

“A história dele reforça a influência da cultura negra na música nordestina. Jackson é considerado um dos maiores ritmistas da história da MPB. Em 54 anos de carreira, foi responsável, ao lado de Luiz Gonzaga, pela popularização nacional de canções nordestinas. No dia da abertura haverá, ainda, show do músico Marcelo Mimoso, no pátio do Teatro Municipal de Niterói”, explica a curadora.

Dono de uma voz marcante e de uma interpretação que emociona, Marcelo Mimoso segue carreira solo fazendo uso do que viveu desde a infância. Ele é filho de Fidelis do Acordeom, sanfoneiro paraibano que o envolveu na música e na cultura regional nordestina. Marcelo conta um pouco sobre a sua carreira.

“Minhas inspirações são Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino e Dominguinhos, entre outros. Comecei a me apresentar no circuito do forró, em festas particulares e em grandes eventos com banda ou no formato do tradicional trio ‘sanfona, zabumba e triângulo’ criado por Gonzagão”, revela.

Com extensa experiência como intérprete, Marcelo já dividiu o palco com grandes nomes do cenário nacional. Com Gilberto Gil, Lenine, Mestre Azulão do Repente e Elba Ramalho, esteve ao lado do homenageado Dominguinhos no 30º Prêmio Shell da Música Popular Brasileira em 2010.

Sobre o momento atual, o artista diz que está em um de seus melhores momentos.

“Estou em estúdio gravando um trabalho que trará composições inéditas e clássicos do forró. Fazer um show num evento que uma das minhas inspirações é o homenageado não tem preço. O público de Niterói terá muito forró para dançar”, promete o artista. 

A Sala Carlos Couto fica Rua XV de Novembro, 35, no centro de Niterói. Entrada franca. Classificação: Livre. Telefone: 2620-1624. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top