Assine o fluminense

O capítulo final de uma saga

Estreia nesta quinta o aguardado ‘Vingadores: Ultimato’, que encerra a antológica saga de batalhas dos heróis da Marvel

Vingadores: Ultimato

Divulgação
 

La Cama

Divulgação

Nesta semana, os lançamentos chegam aos cinemas com várias temáticas e estilos, atendendo desde o público mais sensível - com exemplo dos dramas “La Cama” e “O Ano de 1985” - até o mais intenso - com o russo “Sobibor” e o esperado “Vingadores: Ultimato”.

É com “Vingadores: Ultimato” que a antológica saga de batalhas de uma das maiores equipes de heróis da Marvel chega ao fim. Com Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson e grande elenco, apresenta, em três horas, o momento em que o grupo de heróis atravessa seu maior desafio: estão desolados por terem perdido a maioria dos companheiros nas mãos do vilão Thanos, inclusive Tony Stark - o Homem de Ferro -, que está vagando pelo espaço sem nenhum recurso para sobreviver.

Os que sobraram - entre eles Capitão América e Viúva Negra - unem forças para a última tentativa de derrotar o titã e salvar o Universo.

Dirigido por Mónica Lairana, o drama argentino “La Cama” é um retrato delicado do fim de uma relação a dois. Após anos de casados, Jorge e Mabel decidem que é hora de seguirem suas vidas sozinhos e entram em um processo de divisão dos objetos e móveis que ficarão com cada um.

Em meio à separação, tentam lidar com as mágoas do momento e refletem sobre memórias e sentimentos. 

 

Sobibor

Divulgação

“O Último Lance” é um drama finlandês, dirigido pelo cineasta estreante Klaus Härö, que acompanha o dilema de Olavi, um velho negociante de arte que é distante da família e obcecado pelo trabalho, mas vê a modernidade criar dificuldade para o que antes ele dominava, em favor das grandes instituições que manipulam o mercado.

Um dia, um ícone de um pintor russo cai em suas mãos, mas ele não consegue investigar sozinho, o que o leva a recorrer à ajuda de seu neto e, consequentemente, tentar uma reaproximação de sua filha. 

Inspirado em um curta-metragem homônimo realizado em 2016, “O Ano de 1985” leva às telonas o olhar do diretor Yen Tan sobre a vida de Adrian, um jovem que viaja de Nova Iorque para o Texas com o objetivo de passar o natal com a família.

O ano foi o período da primeira crise de AIDS nos Estados Unidos. Lá, ele se recupera de uma tragédia que viveu na cidade onde mora, mas ainda precisa lidar com algumas questões: tenta reconectar os laços com seu irmão e com um amigo de infância, além de revelar aos pais - que são religiosos conservadores - um segredo que guarda há anos. 

 

O ano de 1985

Divulgação

Indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro este ano, o longa “Sobibor”, dirigido pelo cineasta russo Konstantin Khabenskiy, é baseado na revolta que ocorreu em um campo de extermínio nazista na Polônia, em 1943.

Na história, o prisioneiro de guerra Alexander Pechersky organiza a revolta que tinha o objetivo de libertar a massa de prisioneiros que esperavam por suas mortes em nome da ideologia alemã higienista que imperava na Europa durante a Segunda Guerra Mundial.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top