Assine o fluminense

Para sempre frenéticas

Dhu Moraes e Sandra Pêra revivem a febre das Frenéticas em show dia 25 na UFF

O repertório traz hits como “Dancin’ Days”, “Perigosa”, “Aquarius” e “Vingativa”, clássicos da MPB como “Back in Bahia” e “Sabe Você”, dentre outros

Foto: Divulgação

Dhu Moraes e Sandra Pêra, amigas de longa data e ex-Frenéticas, apresentam seu espetáculo “Duas Feras Perigosas”, no Teatro da UFF, na próxima quarta-feira, dia 25, às 16h, como parte da série “Show das 4”. O roteiro e a direção do show são do jornalista e escritor Rodrigo Faour, que colaborou ainda com sugestões musicais para a dupla. 

Bem antes de serem “as tais Frenéticas”, Dulcilene de Moraes (Dhu Moraes) e Sandra Pêra se conheceram em 1972, nos ensaios do musical “Pobre Menina Rica”. O compositor Carlos Lyra assinava a direção, o texto e as músicas, compostas em parceria com Vinícius de Moraes. A identificação entre as duas foi imediata e, desde então, a amizade entre Dhu e Sandra segue rendendo frutos e projetos. 

“Ali, em ‘Pobre Menina Rica’, realmente começou uma amizade muito sincera e verdadeira, uma amizade de irmãs mesmo”, relembra Dhu Moraes. 

Com tantas histórias para contar e canções para cantar, surgiu a ideia de montar um espetáculo no qual Dhu e Sandra dividem histórias e passagens divertidas dos bastidores da música e do teatro, nesses mais de 40 anos de parceria. Com direção musical do guitarrista Mimi Lessa, amigo desde o início das Frenéticas, o show Duas Feras Perigosas acontece desde 2015. 

“A ideia pro espetáculo surgiu deve ter uns 7 anos, quando nós começamos a pensar nessa hipótese de contar um pouco da nossa história, desse nosso encontro. Na verdade, costumo dizer que é um reencontro, porque quando há essa identificação entre almas não é um simples encontro”, explica Dhu Moraes. 

“Há muito tempo que a gente tem vontade de fazer um show juntas, mas, por causa de outros trabalhos, nós começávamos, mas não íamos adiante. Até que, há dois anos atrás, o nosso diretor musical, que tocava com a gente na época das Frenéticas, o Mimi Lessa, falou com a gente e começamos a ensaiar mais uma vez”, completa Sandra Pêra. 
Depois disso, fizeram seu show de estreia no Beco das Garrafas, no Rio, e, então, as coisas começaram a fluir. 

O repertório traz hits como “Dancin’ Days”, “Perigosa”, “Aquarius” e “Vingativa”, clássicos da MPB como “Back in Bahia” e “Sabe Você”, além de canções mais recentes, como “Ainda Bem” (Marisa Monte/Arnaldo Antunes) e “Eu vou fazer uma macumba” (Johnny Hooker). Conta musicalmente a história das duas, dos trabalhos que fizeram juntas, começando por “Pobre Menina Rica” e passando por Frenéticas. 

“A receptividade do público tem sido sempre maravilhosa, são pessoas, a grande maioria, mais ou menos da nossa faixa etária, que ouviu nossas músicas. Tem também o público jovem, que conhece as nossas músicas cantadas por outras pessoas e tem essa curiosidade de nos ver ao vivo”, aponta Dhu Moraes.

Dulcilene ou Leninha, como era conhecida Dhu Moraes, já cantora profissional, juntou-se a Sandra Pêra, na época com 17 anos, que estava começando uma carreira de atriz e amava cantar e dançar. Juntas, elas praticavam a primeira e a segunda voz. Depois de “Pobre Menina Rica” veio “Jesus Cristo Superstar” e “Frenéticas”, e elas formaram um laço de amizade, assim como com as outras integrantes, Regina, Lidoka, Edyr e Leila.

O Teatro da UFF fica na Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, em Niterói. Quarta-feira, dia 25 de abril, às 16h. Preço: R$ 60 (inteira). Classificação: livre. Telefone: 3674-7515. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top