Assine o fluminense

Peça fala do sentido de moradia

Paula Aguas em “Tal do Caminho”, misto de performance, dança e artes visuais

Paula Aguas em “Tal do Caminho”, misto de performance, dança e artes visuais

Renato Mangolin / Divulgação

O Teatro Poeirinha recebe o espetáculo “Tal do Caminho”, encenação de João Saldanha, com interpretação de Paula Aguas, um misto de dança, performance e artes visuais. Em sua segunda temporada, em cartaz até dia 27, esse trabalho vem se atualizando conforme a vivência adquirida desse tempo de parceria de trabalho entre essa dupla de bailarinos/criadores.

Trata-se de um solo onde a artista traça o sentido da moradia, seus percursos e formas de aconchego, onde a construção determina um universo feminino demarcado pelas dúvidas e certezas que a maternidade traz. Um trabalho que expressa o caminho solitário do indivíduo em busca de comunicação. Para João Saldanha, o ponto de partida deste projeto é se tratar de “um processo delicado, longevo, onde a criação surge como forma de transformação e restauro para ampliarmos nossas comunicações”.

Paula Aguas sempre buscou processos desafiadores, onde não tinha muito conhecimento sobre a linguagem, e dessa vez não foi diferente. Segundo ela, Saldanha foi um mundo que se abriu à sua frente, a tirou da zona de conforto, com um conhecimento delicioso, com dedicação, generosidade, propondo um trabalho minucioso, sensível e potente.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top