Assine o fluminense

SG saúda a sétima arte

‘Cine Tamoio - Festival de Cinema de São Gonçalo’ vai de 11 a 15 de setembro reunindo 114 produções de todo o País no Teatro Carequinha

Terceira edição do Cine Tamoio - Festival de Cinema de São Gonçalo acontece nesta terça-feira

Foto: Divulgação

A partir da próxima terça-feira (11), acontece a terceira edição do Cine Tamoio - Festival de Cinema de São Gonçalo. Ao todo, o festival reúne 114 produções de todo o Brasil para concorrer nas 19 categorias da premiação, que ocorrerá no dia 15, no Teatro George Savalla Gomes, popularmente conhecido como Teatro Carequinha. Além da exibição dos mais de 100 filmes selecionados e da premiação, oficinas de cinema serão oferecidas durante a programação. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de São Gonçalo, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e da Fundação de Artes de São Gonçalo (Fasg).

Nesta edição, o homenageado do festival será o ator Milton Gonçalves.
“O festival foi criado com o intuito de fomentar a produção da sétima arte dentro do município de São Gonçalo e, com isso, alimentar o interesse dos alunos de cinema e dos cinéfilos para a geração de um mercado local, com produções cinematográficas independentes, visando atrair produtores e diretores de outras cidades, estados e países.

É um encontro de exibições, debates e discussões da produção do audiovisual nacional e, agora, internacional. Neste ano, recebemos uma produção do Canadá com legenda em português, isso mostra que podemos usar o próprio cinema pra dialogar com o mundo. A importância do Cine Tamoio é manter esses debates e desenvolver o interesse pelas produções nacionais, novos formatos e linguagens, com o objetivo de ampliar a visão de mundo em diversos aspectos no cerne sociopolítico-cultural”, conta o diretor, roteirista e produtor Alberto Sena, idealizador e curador do Cine Tamoio, que o classifica como o maior festival de cinema do Leste Fluminense.

Para o organizador, parte da força do festival se encontra no seu caráter predominantemente social.
“Sabemos que o cinema é uma ferramenta de transformação social quando bem usada. Por isso temos o cuidado de selecionar filmes que tenham relevância social, sem descartar o entretenimento”, explica. 

Produções niteroienses e gonçalenses marcarão presença no festival: “In Natura”, de Ana Sanz e Adriana Sally, e “É a minha voz que você tem que ouvir”, de Juan da Silva e Márcio Paixão, representam a cidade de Niterói. “Alcântara dos Desejos”, de André Correia; “Aviãozinho” e “Oito Palavras”, de Antônio Jr; “O dia que me chamei Guilhermo”, de Wemerson Peu e Carol Araújo; “O Lado Oculto da Internet”, de Milton Davi de Lucca; “Papo de Malandro”, de Arildo Oliveira e Ian Medeiros; “Sobre Ratos e Café”, de Márcio Paixão; “O poeta boleiro de Anchieta”, do grupo Somos Moinho de Vento, e “Invasão Drag”, de Rafael Ribeiro, representam São Gonçalo.  

Produtor do festival: Alberto Sena

Foto: Divulgação

“É um evento vitorioso, que já faz parte do calendário artístico e cultural da cidade. Para quem não é famoso ou conhecido, é uma excelente janela de visibilidade, uma grande oportunidade de mostrar o seu trabalho”, afirma o roteirista de “Alcântara dos Desejos”, Agliberto Mendes.

O curta conta sobre a tentativa de emancipação do bairro de Alcântara, que acabou não acontecendo:
“Esse curta faz parte de um projeto bem mais amplo, que envolve a produção de mais vídeos, inclusive um livro. O objetivo foi documentar um momento de extrema importância na história do nosso território”, ressalta Mendes.

Roteirizado, produzido, dirigido e protagonizado por Milton Davi de Lucca, o curta “O lado oculto da internet” traz a história real dos amigos do autor que foram vítimas de um maníaco da internet – debatendo sobre os perigos das redes sociais. “Papo de Malandro” é outro curta que concorre ao prêmio de melhor curta. Ele é uma cocriação de Ian Medeiros e Arildo Oliveira, que também é músico e fez todo o trabalho sonoro do curta, que, a princípio, era o projeto de um longa-metragem – adaptado para um curta de 30 minutos.  

“Ele trata da importante conscientização de pais e responsáveis para com seus filhos a respeito do vício em drogas”, revela Arildo.  

Dando sequência ao fomento de temas inerentes à nossa sociedade atual está o curta LGBTQ+ “Invasão Drag”, idealizado a partir do aumento de jovens que passaram a usar a cultura drag como ferramenta artística e política. Com roteiro e direção de Rafael Ribeiro e produção de Thiago Tavares, Veridiana Cardoso e também de Rafael, o curta conta com depoimentos destes artistas que estão, pouco a pouco, ganhando maior espaço na mídia de massa.  

“Um dos objetivos desse trabalho é criar uma narrativa dessa cultura de forma a desmistificar preconceitos que permeiam a imagem dessa forma de expressão artística. Acredito que, no momento político que vivemos, se torna cada vez mais importante se posicionar e estar ocupando espaços historicamente negados. Vai ter filme de bicha, sim”, exclama o produtor Thiago Tavares, que destaca a importância de haver este tipo de oportunidade em São Gonçalo: “Acho importante que o ‘Invasão Drag’ circule e crie diálogos com todos os tipos de público. O município é notoriamente carente de opções culturais e um festival como esse é fundamental para que a cidade possa usar a cultura, nesse caso o audiovisual, para discutir temas relevantes. É um filme muito rico no sentido de quebrar estereótipos atribuídos a esses artistas”.  

Seguindo com esta temática político-social, o curta “Sobre Ratos e Café” expõe os problemas de violência doméstica - tema muito importante em um país onde a cada 7,2 segundos uma mulher é vítima de violência por parte dos seus companheiros.  

“Busquei em cineastas como Suzana Amaral, Pedro Almodóvar e Wong Kar-Wai as referências técnicas e subjetivas para a construção deste filme”, conta o diretor do filme, Márcio Paixão.

A produtora do curta, Alessandra Merat, comemora a chance de concorrer ao prêmio de melhor curta.
“Ter meu primeiro filme no festival da cidade em que nasci me traz muito orgulho e a certeza de que estou no caminho certo para compartilhar os conhecimentos que tive que obter fora da cidade”, admite.

O Teatro George Savalla Gomes fica na Rua Oliveira Botelho, 785, Neves, em São Gonçalo. De 11 a 15 de setembro. Horários e classificação indicativa estão disponíveis na página oficial do evento no Facebook. Entrada franca. Telefone: 2624-1721. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top