Assine o fluminense

Um mergulho arquitetônico

Estreia nesta quarta-feira, no Bistrô MAC, a exposição ‘Niemeyer em Niterói’, com 23 fotografias de Paulinho Muniz

Muniz passou mais de 10 anos clicando diariamente e acompanhando todo o processo de criação das construções de Niemeyer

Foto: Divulgação

Um mergulho na criação das obras de Oscar Niemeyer na Cidade Sorriso é o que propõe a exposição “Niemeyer em Niterói”, que estreia nesta quarta-feira (20), às 19h, no Bistrô do Museu de Arte Contemporânea (MAC). O grande acervo do fotógrafo Paulinho Muniz traz 23 fotografias divididas em 12 painéis que ilustram as sete obras do gênio da arquitetura na cidade. 

O professor e expositor da Sociedade Fluminense de Fotografia, e contratado da Prefeitura de Niterói como fotógrafo do Caminho Niemeyer, passou mais de 10 anos clicando, quase que diariamente, e acompanhando todo o processo de construção. Como fotógrafo oficial do projeto, responsável pela documentação das obras, tinha livre acesso às construções. Ele aproveitou bem a oportunidade e foi além do trabalho técnico, viajando com sua lente pelas formas criadas por Oscar Niemeyer. O resultado é um acervo de 20 mil imagens que registram muitas das obras desde o seu começo, como o Teatro Popular e o Centro Petrobras de Cinema.

Paulinho Muniz confessou que foi difícil fazer a seleção das imagens que vão compor a exposição devido à diversidade de ângulos e fases das obras e seus monumentos. 

“São muitas imagens, é difícil escolher só algumas para expor. Acompanhei quase todas as obras, com exceção do MAC. Mas o resultado todos podem conferir na exposição. Em relação às fotos do processo de construção do MAC, as pessoas terão uma surpresa”, garante Paulinho, que teve o privilégio de acompanhar profissionalmente o andamento das obras de Niemeyer em Niterói. “Registrei as obras de vários ângulos e etapas, constituindo um rico acervo. Agora fui convidado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo para montar uma exposição mostrando o trabalho do mais nobre associado do conselho, que é o Niemeyer”, explica. 

Considerado uma das figuras-chave no desenvolvimento da arquitetura moderna, Niemeyer projetou sete obras que podem ser encontradas em vários bairros da cidade e são muito conhecidas por seus moradores e turistas. Niterói só é superada em quantidades de obras do artista por Brasília. 

“Eu gosto da arquitetura do Oscar, com quem eu me encontrava uma vez por mês, quando ele vinha fiscalizar a obra. Acabei criando uma proximidade que me ajudou bastante a entender a sua obra”, revela Paulinho, que o sintetiza: “Ele era um escultor em concreto. Fazia as obras para serem vistas, observadas, como um museu a céu aberto”. 

Desse entendimento vieram imagens como a da cúpula da Fundação Oscar Niemeyer e operários no seu topo, na contraluz. Um dia, pescando na Baía de Guanabara, o fotógrafo percebeu que poderia captar boa parte do caminho de uma vez só. E assim fez. Paulinho estabeleceu uma relação íntima com todo o projeto e isso se reflete na curadoria feita para a mostra.

“A cada dia percebia que estava fazendo uma imagem nova. Dá para viajar nas obras, e, às vezes, o próprio Oscar me freava”, brinca Muniz.

Além do Museu de Arte Contemporânea, primeira obra de Niemeyer em Niterói que completa 20 anos de inauguração em setembro deste ano, há belas imagens da Estação de Charitas, do Centro Petrobras de Cinema (ainda a ser inaugurado) e da garagem subterrânea em frente à Praça do Valonguinho, no Centro, que pouca gente sabe que tem o traço de Niemeyer.

“Há, ainda, uma coleção das obras que estão no dito Caminho Niemeyer, que são o Teatro Popular, a Fundação Oscar Niemeyer e o Centro de Memória Roberto Silveira. Acompanhei de perto estas obras que transformaram aquele imenso terreno baldio em uma praça viva, reunindo em um mesmo espaço toda a criatividade do gênio da arquitetura”, explica Paulinho. 

O fotógrafo acabou estabelecendo uma canal próximo com Oscar Niemeyer, com quem se encontrava mensalmente

Foto: Paulinho Muniz/Divulgação

Obras de Oscar Niemeyer em Niterói:

• Caminho Niemeyer:
É um centro cultural de grande valor arquitetônico. O complexo se estende por 11 km ao longo da orla da cidade, do Centro à Zona Sul, desde o terreno do Aterro da Praia Grande até o bairro da Charitas. O objetivo era revitalizar a orla da cidade junto à Baía de Guanabara e a parte central da cidade de Niterói. O conjunto arquitetônico, ainda não concluído, é constituído, entre outros edifícios, pelo internacionalmente conhecido Museu de Arte Contemporânea (MAC), mas também por um complexo no Centro da cidade, que concentra a maioria das edificações, chamado de “Praça Popular de Niterói”, composto pela Fundação Oscar Niemeyer, Memorial Roberto Silveira e Teatro Popular de Niterói. Há ainda uma série de outros edifícios espalhados ao longo da orla: o Terminal de Barcas de Charitas, o Centro Petrobras de Cinema e a Praça JK. Existem projetos para outros edifícios cujas obras ainda não foram iniciadas.

•Teatro Popular Oscar Niemeyer:
O Teatro Popular Oscar Niemeyer, antigo Teatro Popular de Niterói, foi inaugurado em 2007 e fez parte das celebrações em homenagem aos 100 anos de nascimento do arquiteto brasileiro. Recebeu o nome de seu idealizador em outubro de 2013. O Teatro Popular é uma das obras que integram o Caminho Niemeyer. Junto ao MAC, compõe um complexo cultural e turístico, sendo o maior conjunto arquitetônico em construção nas Américas. Em 2010 foi fechado para uma reforma com mudanças no projeto original feitas pelo próprio Oscar Niemeyer. 

• Memorial Roberto Silveira
Também chamado Centro de Memória Roberto Silveira, é uma das construções do Caminho Niemeyer inauguradas em 2003. Foi a segunda obra pronta do Caminho Niemeyer. O prédio abriga importante acervo histórico e iconográfico de Niterói, com mais de 200 mil títulos digitalizados com dados da cidade, do Estado do Rio de Janeiro e da vida do ex-governador Roberto Silveira. 

• Fundação Oscar Niemeyer  
A Fundação Oscar Niemeyer (FON), criada em 1988, é um centro de informação e pesquisa voltado para a reflexão e difusão da arquitetura, urbanismo, design e artes plásticas, e para a valorização e preservação da memória e do patrimônio arquitetônico moderno do país. A Fundação Oscar Niemeyer consolidou-se como um importante centro de documentação ao disponibilizar seu acervo arquivístico e bibliográfico e oferecer produtos e serviços de informação crítica sobre a arquitetura e urbanismo.

• Praça Juscelino Kubitschek 
O complexo paisagístico e arquitetônico da Praça JK é uma síntese dos estilos que marcam a história de Niterói, e fica na região do Aterro da Praia Grande, no trecho entre os bairros do Centro de Niterói e São Domingos. A praça projetada por Oscar Niemeyer como homenagem ao presidente Juscelino Kubitschek tem uma vista que compreende a orla de Niterói e a cidade do Rio de Janeiro, e foi construída em cima da primeira garagem subterrânea de Niterói. Tem uma escultura em bronze de Oscar Niemeyer e JK sentados em um dos bancos da praça olhando uma planta arquitetônica de uma das construções de Brasília e uma grande marquise que liga os dois extremos da praça. A praça serve de mirante para a orla do centro da cidade, para a Ponte Rio-Niterói e para a orla do Centro do Rio.

• Museu de Arte Contemporânea (MAC)
O cartão-postal mais importante da cidade de Niterói impressiona por suas formas arquitetônicas e é uma obra a ser admirada por si só. Com vista panorâmica da Baía de Guanabara, o MAC, inaugurado em 1996, abriga o acervo de mais de 1200 obras do colecionador João Sattamini, além de quase 400 obras doadas por artistas que realizaram exposições no museu. No segundo andar, a varanda envidraçada descortina um belo visual para o Corcovado e Pão de Açúcar. O museu também conta com auditório, biblioteca com 40 mil documentos sobre a arte moderna e contemporânea, e um bistrô. 

• Estação Hidroviária de Charitas
Estação das Barcas de Charitas é o edifício do terminal hidroviário do bairro de Charitas, na cidade de Niterói. A Estação levou a assinatura do arquiteto Oscar Niemeyer e se tornou uma atração turística da cidade. Apesar de ser uma obra de Oscar Niemeyer, não faz parte do Caminho Niemeyer, que percorre vários bairros de Niterói margeando sua orla litorânea e termina no MAC. Foi inaugurada em 23 de novembro de 2004. A estação hidroviária recebe a linha de catamarã que faz a ligação entre Niterói e a cidade do Rio de Janeiro cruzando a Baía de Guanabara. Ligando o bairro de Charitas à estação Praça XV na cidade do Rio de Janeiro. Na praia de Charitas termina o passeio pelo Caminho Niemeyer. 

O Bistrô Mac fica na Praça Mirante de Boa Viagem, s/n, Boa Viagem, Niterói. De 20 de janeiro até 20 de março. Entrada franca. Classificação: livre. Telefone: 2629-1416. 

(Camilla Galeano)

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top