Assine o fluminense

Um roteiro do que ver nos palcos

Confira as estreias de espetáculos de teatro e dança no Rio de Janeiro para começar o ano inspirado

“Uma Intervenção” estreia no Teatro Ipanema, no dia 17 de janeiro, às 20h

Foto: Divulgação/Victor Hugo Cecatto

Janeiro começa com tudo quando o assunto permeia os grandes palcos do Rio de Janeiro. Seja teatro ou dança, o que não falta é espetáculos de qualidade para começar 2019 cheio de inspiração.

De 4 a 27 de janeiro, às 18h, estreia na sala Multiuso do Teatro Sesc de Copacabana, “O Cego e o Louco”. Com texto da Cláudia Barral, a comédia dramática é a primeira incursão em um texto brasileiro da Lunática Cia. de Teatro. O espetáculo mostra o solitário cotidiano de dois irmãos, que muda após a possibilidade da chegada de uma nova vizinha. A fronteira entre a loucura e a arte, além de temas comuns do dia a dia, suas sutilezas e uma boa dose de humor completam essa inusitada e surpreendente história. 

Também de 4 a 27 de janeiro – de sexta a domingo, às 20h – a Renato Vieira Cia. de Dança entra em cena com “Malditos”. Um espetáculo definido como “uma certa fúria”, que dialoga com o momento vivido pelo País. A obra apresentada no Mezanino do Sesc Copacabana faz parte de uma trilogia. 

Para os saudosistas, de 4 de janeiro a 24 de fevereiro, o musical “Nelson Gonçalves – o amor e o tempo” faz temporada no Teatro Clara Nunes, na Gávea. A montagem homenageia de forma singela e emocionante a trajetória de um dos maiores ídolos da nossa música. 

“Pra Chuva”, o solo de Ivan Vellame, inicia temporada dia 7 de janeiro

Foto: Divulgação/Lorena Lima

Do dia 7 de janeiro até o dia 27 de fevereiro, às 21h, a Casa Rio, em Botafogo, apresenta o primeiro espetáculo Solo de Ivan Vellame (de “Ayrton Senna, o musical” e “Deixa a dor por minha conta”). Com direção de Priscila Vidca, “Pra chuva” nasceu da necessidade de discutir o desafio das pessoas terem a liberdade de viverem sua sexualidade diante de uma sociedade hostil e preconceituosa. Um monólogo de muitas vozes, em que cinco personagens são interligados pelo desejo de poderem expressar quem de fato são. 

E de 11 de janeiro a 25 de fevereiro, de quarta a segunda, às 19h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a premiada companhia carioca Os Dezequilibrados celebra as duas décadas com a estreia do seu 20º espetáculo, a comédia “Rio 2065”. O texto, de Pedro Brício – autor de destaque da cena nacional – faz um retrato fictício do Rio em 2065, com a linguagem irreverente, bem-humorada e contemporânea.

E no dia 17 de janeiro, às 20h, estreia no Teatro Ipanema, “Uma Intervenção”, texto inédito de Mike Bartlett, com Gabriel Sanches, Pedro Yudi, Ludmila D’Angelis e direção de Clarissa Freire. No espetáculo, o amor de dois amigos é colocado à prova quando eles percebem que possuem visões de mundo distintas. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top