Assine o fluminense

Unidos pela música e pela afinidade

Bossa Nova é estrela do show de quinta do grupo 4Nit Lounge no Solar

Da esquerda para a direita: Leri Machado (violão), Tino Junior (sax), Denise Santi (voz) e Renato Beranger (piano/teclado)

Foto: Divulgação

O grupo 4Nit Lounge vai se apresentar pela primeira vez no Solar do Jambeiro, quinta-feira, 

às 19h. Apesar de alguns integrantes já terem tocado no espaço antes, em trabalhos paralelos, essa é a estreia deles como grupo e também o primeiro espetáculo com roteiro de teatro, que apresenta, através de uma linha do tempo, como surgiu a bossa nova e sua influência na cenário musical do mundo.

O grupo, formado por Denise Santi (voz), Renato Beranger (piano/teclado), Leri Machado (violão) e Tino Junior (sax), existe há quatro anos e foi uma iniciativa de Renato. Já o evento no Solar do Jambeiro, foi ideia da Denise Santi e do produtor Arnaldo Bonnard.

“A gente vai contar a história da bossa nova, que surgiu com o bolero, quando a gente nem pensava nela, mas, na verdade, já era o início. Na sequência, veio o samba-canção, que começou a ficar mais parecido e depois surgiu a bossa nova e músicas novas em inglês com Tom Jobim, Frank Sinatra e Sara Vogue”, detalha o pianista.

No intervalo das músicas, Denise contextualiza o público sobre a história construtiva do gênero musical brasileiro com pequenos textos que chegam a João Gilberto, considerado o pioneiro da bossa nova.

“Fizemos uma pesquisa de datas porque é nosso fio condutor. Também pesquisamos pessoas, autores, intérpretes daquela época, começando pela década de 50. O difícil é escolher as músicas, porque dá vontade de tocar todas. É uma produção coletiva: Denise, Leni, Tino e eu nos reunimos ou nos falamos pelo WhatsApp e vamos escolhendo juntos”, afirma Renato.

O pianista revela que o repertório é organizado em blocos: jazz, Frank Sinatra, Beatles, Bossa Nova e hits nacionais com músicas de Tim Maia, Rita Lee e Emílio Santiago, entre outros.

“Para o final ficar bem animado colocamos Maria Rita e Djavan, que são músicas bem pra cima e que têm a ver com a bossa nova também. A gente vem construindo um repertório e toda semana a gente se encontra e vai escolhendo as músicas. Hoje, o nosso repertório total deve girar em torno de 300 músicas”, brinca Renato.

Apesar desse espetáculo ter um repertório mais específico, o pianista defende que, a maioria das apresentações do grupo é dançante.

“No caso do Solar, que é um lugar lindíssimo, as pessoas assistem sentadas, então o repertório não é tão dançante porque não é essa a ideia. Procuramos contar mesmo uma história através das músicas que escolhemos”, afirma Renato.

O grupo – Denise Santi conta que conheceu Renato Beranger na casa do médico Edgar Costa, em São Francisco, onde músicos de Niterói se reúnem aos domingos.

“A gente começou com ‘Qualquer dia vamos fazer um trabalho juntos’. Apareceu um trabalho para ele e me chamou, até que teve a ideia de formar esse grupo e convidamos Leri e Tino. A gente começou escolhendo músicas conhecidas, hits internacionais e transformando-os em um ritmo lounge, que é mais bossa. A gente trabalha com música americana (Steve Wonder, Michael Jackson...), italiana, francesa, enfim, músicas de primeira qualidade”, exemplifica Denise.

O número que antecede a palavra “Nit” é indefinido e varia de acordo com o evento, uma vez que o grupo é composto por 12 músicos. No entanto, segundo Renato, a base dos integrantes, geralmente, é ele, Denise e Leri. O número de pessoas que vão a um evento depende da disponibilidade dos músicos e também do lucro, que está ligado, diretamente, com a remuneração de cada um.

“O ideal é que tivesse vários colegas nossos lá, só que nem sempre conseguimos tocar todos juntos, falta oportunidade. O Tino vai estar com a gente no Solar do Jambeiro e já dá outro colorido porque o saxofone, a flauta, clarinete deixam o som muito bonito. A gente foi se juntando naturalmente. Eu era amigo de um que era amigo de outro...”, conta o pianista.

Renato explica que o grupo tem duplicatas de bateristas, contrabaixistas, saxofonistas e eles revezam entre si. 

“Música é energia pura, exige sinergia entre as pessoas e afinidade. Graças a Deus, todas a vezes que a gente toca é uma festa”, assume Renato.

O Grupo Nit Lounge também realiza eventos como casamentos e festas de confraternização, por isso, o repertório varia de acordo com a demanda. Nesse caso, eles se adequam ao perfil do contratante e seu gosto musical.

“Estamos sempre tentando montar o repertório de acordo com a ocasião para a qual somos convidados”, especifica a vocalista Denise.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top