Assine o fluminense

UFRJ pagará auxílio de R$ 1 mil para estudantes desalojados por incêndio

Até a liberação do auxílio, os estudantes ficarão hospedados em dois hotéis

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), vai repassar, a partir do dia 9 de outubro, um auxílio emergencial de R$ 1.050 para os estudantes que moravam na ala B da Residência Estudantil, atingida por um incêndio em agosto deste ano. O benefício, segundo a instituição, será concedido aos alunos que têm “perfil de baixa renda compatível com os critérios das atuais políticas de assistência da universidade”.

Até a liberação do auxílio, os estudantes ficarão hospedados em dois hotéis, conforme acertado em três reuniões entre os alunos e a Administração Central da universidade. De amanhã (21) até a próxima segunda-feira (25), a UFRJ reservou 192 vagas no hotel Mercure, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, porque uma parte dos quartos do hotel Ibis, na Praça Tiradentes, centro do Rio, onde os estudantes estão alojados atualmente, não dispunha das vagas para estes dias.

Trinta e dois estudantes permanecerão no hotel do centro, segundo a universidade, por terem compromissos acadêmicos no bairro ou no campus da Praia Vermelha, na zona sul do Rio, ou por passarem por problemas de saúde e demandarem atenção especial.

A universidade informou que a escolha da rede do hotel de Nova Iguaçu seguiu critérios de preço e por ser o único com possibilidade de contratação, diante da alta demanda turística no Rio. A reitoria informou também que o contrato seguiu o mesmo preço do hotel do centro.

Para o reitor Roberto Leher, o pagamento do benefício foi a melhor solução para atender às necessidades dos estudantes, uma vez que eles não poderão voltar logo a morar no local onde houve o incêndio, que ainda passará por reforma.

“Foi a alternativa viável. Não há moradias na UFRJ e não conseguimos nenhuma cessão de uso de imóvel por ente municipal. Como temos uma responsabilidade ética, moral, política com os estudantes em relação à permanência deles na UFRJ, vamos, em condições de muita restrição orçamentária, assegurar um auxílio financeiro emergencial para que possam se inserir em repúblicas”, disse.

O deslocamento de cerca de 40 minutos dos alunos entre Nova Iguaçu e a Ilha do Fundão, na zona norte, onde ficam os campi da UFRJ, será feito por ônibus da instituição, de acordo com horários pré determinados de ida e volta. A universidade vai fornecer água e o café da manhã faz parte do pacote contratado com o hotel.

Segundo o reitor, os recursos para o pagamento do auxílio, que será concedido até a conclusão da primeira moradia adicional, serão obtidos com apoio do Ministério da Educação. No entanto, até o momento a UFRJ não recebeu recursos adicionais do governo federal para oferecer moradia nas instalações da universidade. Leher disse que a possibilidade inicial discutida com a prefeitura do Rio de Janeiro para encontrar uma solução de curto ou médio prazo no alojamento dos alunos não foi adiante.

Reconstrução - Por causa do incêndio, o projeto para a reforma da ala B da Residência Estudantil da UFRJ foi refeito e terá que passar por licitação pública regular. A UFRJ tem recursos provisionados para a obra. Com a reforma a unidade terá 256 vagas.

Já sobre o projeto de instalação de módulos pré-fabricados próximos ao Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN), a UFRJ informou que no dia 23 de agosto o MEC adiantou R$ 2,3 milhões do orçamento da instituição para a sua execução. A conclusão deve levar três meses a partir do início da montagem. A construção terá 160 vagas e atenderá a estudantes já submetidos à avaliação socioeconômica pela Superintendência Geral de Políticas Estudantis da UFRJ e que aguardam na fila para receber o benefício.

(EBC)

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top