Assine o fluminense

Atrás do frio

Apaixonados pelas baixas temperaturas, eles não perdem a oportunidade de viajar para curtir o inverno

Camila Araujo curtindo os encantos de Petrópolis, na Região Serrana do Rio

Foto: Divulgação / Maria Hennies

Mesmo sendo um País tipicamente tropical, principalmente no inverno, os amantes do frio podem pegar o cachecol, as meias e o casaco e cair na estrada em direção a alguns destinos que proporcionam esse clima gostoso. No Estado do Rio, a Região Serrana, composta por São José do Vale do Rio Preto, Petrópolis, e Teresópolis, é a mais procurada.
 
A niteroiense Camila Araújo, de 23 anos, visitou Petrópolis no último fim de semana pela terceira vez. Acompanhada de um grupo de amigos, durante o dia, a niteroiense andou pelas ruas da Cidade Imperial curtindo o clima de montanha. Também fez parte do roteiro da jovem que adora o clima a visita à fábrica da Bohemia - a primeira fábrica de cerveja do País, instalada em 1853 na cidade -, trilhas, incluindo a trilha do morro do Bonet, localizada no Rocio, que permite avistar a Baía de Guanabara e o Rio quando o céu está limpo. 

“Estava bem frio e até chegou a chover. Eu nunca tinha feito uma trilha na chuva, mas foi muito gostoso! A terra parecia argila e, na descida, nós precisamos usar as mãos para dar apoio e não escorregar”, relembra, saudosa.

À noite, a jovem aproveitou para conhecer bares da cidade e as famosas cervejas artesanais de Petro, ou ficar em casa tocando violando, acompanhado de uma boa conversa e um bom vinho. Para ela, lugares frios como Petrópolis são aconchegantes e a viagem foi uma ótima saída para fugir do caos da cidade. 

“Não sei ao certo o porquê, mas esses lugares são poéticos, inspiradores. A viagem foi muito gostosa. Vale muito a pena. Nós fizemos as coisas com calma, curtimos muito”, comenta, saudosa. 

A administradora de e-commerce Carla Castelo Branco, 30 anos, também visitou a região, no entanto, apostou em um roteiro bem aventureiro - a travessia Petrópolis/Teresópolis. Em meados de maio, época menos chuvosa e com temperaturas suportáveis, a niteroiense e o irmão seguiram para os três dias de travessia sob o sol e poucas nuvens no céu, o que, para ela, fez toda diferença na apreciação das paisagens. 

“A serra de Teresópolis é linda e por todos os cantos você encontra montanhas com mirantes. A Pedra da Tartaruga, por exemplo, no Parque Natural Municipal de Teresópolis, é um ótimo passeio para famílias, com subidas leves e seguras, além de possuir fácil acesso de carro”, explica.

Leandro Ribeiro, que depois de ter passado pelo frio da Áustria e da Itália, pretende fazer o circuito na Serra Catarinense e Gaúcha durante o inverno

Foto: Divulgação

Para os amantes de camping, Carla acredita que o parque também seja uma boa opção. Além da Pedra da Tartaruga, já visitou a Cachoeira dos Frades, que fica mais afastada do centro de 
Teresópolis, e o Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

“É um cenário perfeito para tomar um vinho e fazer um lanche numa das mesas do parque. Eu e minhas amigas adoramos esses programas na serra, que fogem do calorão da cidade”, confessa.
Friburgo, Visconde de Mauá e Petrópolis/Itaipava também a encantaram. Da gastronomia local que a região oferece aos artesanatos. Em um passeio acompanhada do noivo, curtiu o clima da serra em um chalé com lareira, cama aquecida e hidromassagem, que fizeram valer cada centavo da viagem. Carla ainda quer conhecer alguns lugares do Estado, como a Trilha do Cartão Postal, que possui vista para o Dedo de Deus e o circuito Terê-Fri, que liga Teresópolis à Friburgo.  

“A gastronomia é algo que me atrai muito. Por isso, quero conhecer a Terê-Fri e as queijarias, lojas de doces caseiros e as fazendas, que ainda têm os animais fofos. Na volta do circuito tem um hotel que sere um brunch ao ar livre com uma vista linda, o Rosa dos Ventos. Esse ano vou comemorar meu aniversário de namoro na serra e quero fazer um roteiro à dois. Não vejo a hora”, comenta a administradora, que se encanta com o charme do inverno, mas acredita que a serra é um bom destino em qualquer época do ano. 

Além do Estado do Rio, outros destinos atraem os fluminenses que gostam das temperaturas mais baixas. O contador Leandro Ribeiro, de 51 anos, ainda quer fazer um circuito na Serra Catarinense e Gaúcha no inverno, mas já foi diversas vezes à Europa nesta época.

“Gosto muito de lugares que permitem um contato com a natureza. E, nas épocas mais frias, quando adoro viajar, posso curtir um bom vinho e comer melhor. Já fui a Viena, na Àustria, à Itália, onde naveguei pelo ‘Lago Di Como’, com um visual lindo do pico nevado ao fundo. Visitei, ainda,  o Vale d’osta, entre outros lugares. No início do ano que vem, vou à Patagônia Chilena, que, mesmo no verão, é uma região bem fria”, finaliza o carioca, fascinado com as paisagens abai­xo de zero. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top