Assine o fluminense

Olho: janela para o mundo

Órgão pode revelar muito mais sobre a saúde humana do que os problemas de visão que lhe são atribuídos

Dr. Rodrigo Pegado, diretor da Clinop, alerta para os cuidados com os olhos

Lucas Benevides

O olho recebe 15 vezes mais terminações nervosas que outros órgãos do corpo. É através dele que o indivíduo processa 80% das informações recebidas diariamente. Por isso, os olhos são considerados a janela para o mundo. Através deles é possível detectar doenças que afetam todo o corpo humano, entre elas a diabetes, hipertensão, leucemia e HIV.  

Esse diagnóstico é possível através de um exame tecnicamente simples, mas de extrema importância: o fundo de olho. Por isso, oftalmologistas alertam que consultas regulares podem prevenir não só problemas de visão, mas doenças sistêmicas, neurológicas (como tumores na cabeça), reumatológicas, hematológicas, etc.  

“As pessoas acabam procurando um oftalmologista apenas quando estão com problemas sérios de visão. Não existe a cultura de prevenção na visão. Conseguimos detectar muitas doenças pelo fundo de olho. É um exame no qual a gente dilata o olho do paciente e a gente consegue ver o fundo do olho. É uma janela para observar uma série de doenças. Tem muito detalhe no fundo de olho, e cada detalhe desse refere-se a uma doença diferente. Então, esse é um exame bem importante quando falamos em prevenção”, destaca o oftalmologista e diretor da Clinop, Rodrigo Pegado.   

Segundo Rodrigo, a riqueza de informações contidas no fundo de olho pode ser essencial e uma grande aliada à saúde. Ao detectar alguma alteração, o oftalmologista pode encaminhar o paciente para um especialista, garantindo o tratamento e cuidados adequados.  

“O fundo de olho consegue dizer para o cardiologista, por exemplo, se o paciente está sendo bem-tratado ou se pode desenvolver doenças cardiovasculares graves para daqui a cinco anos. São dados muito específicos da área médica, mas que a gente já consegue dar um direcionamento de tratamento clínico para o paciente. Serve também para a endocrinologia. A gente consegue classificar o estágio da diabetes e dizer ao endocrinologista se aquele tratamento está dentro do padrão ou não”, comenta o oftalmologista. 

Nova geração - Uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que até 2050 metade da população mundial será míope.  Para Rodrigo Pegado, esse pode ser o resultado do uso desenfreado das novas tecnologias e que já vem apresentando seus efeitos.  Outro estudo do Instituto Americano IAPB Vision Atlas diz que o número de crianças que usam óculos de grau dobrou nos últimos 10 anos, passando de 10% para 20%. Dessas, quatro em cada dez apresentam miopia. 

“Nossos filhos vão se enquadrar nesse perfil. Tablet, celular, essas tecnologias, fazem com que a gente olhe mais os objetos de perto e isso, na fase de desenvolvimento, estimula o cérebro a liberar substâncias que aumentam o tamanho do globo ocular com o objetivo de melhorar o foco para perto e isso causa, justamente, a miopia”, explica, indicando uma pausa a cada 20 minutos de uso.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top