Assine o fluminense

Após vistoria, CT não é interditado

Autoridades estiveram ontem no Ninho do Urubu para verificar possíveis irregularidades. Visita durou cinco horas

Integrantes do Corpo de Bombeiros, da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Polícia Civil, da Defensoria Pública e do Ministério Público estaduais fizeram nesta terça-feira vistoria no Centro de Treinamento George Helal, o Ninho do Urubu, que pertence ao Flamengo, na zona oeste da capital fluminense. Foram cinco horas de fiscalização para verificar se é necessária a interdição total do local.

Com a vistoria, os especialistas esperam identificar possíveis irregularidades no centro de treinamento do Flamengo. As condições das instalações e os serviços oferecidos no local também foram analisados. A 42ª DP (Recreio) investiga a tragédia.

A imprensa não pôde acompanhar a vistoria. Os especialistas chegaram por volta das 10h e deixaram o Ninho do Urubu perto das 15h. A fiscalização minuciosa ocorre quatro dias depois do incêndio que matou dez atletas da categoria de base do Flamengo.

A diretoria do Flamengo está trabalhando no sentido de afastar a hipótese de negligência. O presidente Rodolfo Landim está liderando um grupo de trabalho que está responsável por verificar documentos e dar todo o suporte a autoridades nesta investigação. Integram o grupo Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico, Reinaldo Belotti, CEO, Alcides Antunes, presidente do Conselho Deliberativo, e Flávio Willeman, vice-presidente Jurídico da gestão do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Bandeira, por sinal, disse desconhecer qualquer multa aplicada ao clube na sua gestão ou até mesmo qualquer insatisfação da prefeitura com as condições dos atletas: “Nunca existiu auto de interdição do CT por conta de questões de segurança ou do trabalho. Isso eu posso assegurar. A prefeitura elogiou o que vinha sendo feito  nessa questão do tratamento das crianças. Portanto, não me lembro que a Prefeitura teria tentado interditar o CT”, disse Bandeira à “Rádio Globo”. 

Vítima acorda pela primeira vez

Em meio aos problemas enfrentados pelo Flamengo, após incêndio que atingiu o Ninho do Urubu na última sexta-feira, matando 10 atletas das categorias de base, o Rubro-Negro teve uma boa notícia. Ontem, pela primeira vez depois do acidente, o atleta Jhonata Ventura apresentou mais uma evolução de melhora em seu quadro clínico. O jovem de 15 anos teve 30% do corpo queimado e, após quatro dias internado, o atleta tentou interagir com familiares e com equipe médica. 

O adolescente recebeu da equipe médica um banho das queimaduras mais profundas e curativos, mostrando melhora de algumas lesões. Ele ainda segue no Centro de Terapia Intensiva de Queimados do Hospital Pedro II, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O hospital emitiu um boletim médico sobre o estado de saúde do paciente.

“O paciente Jhonata Cruz Ventura encontra-se no momento sem sedação, acordado e atendendo a comandos simples ao exame clínico. Apresenta melhora evolutiva dos parâmetros ventilatórios e estabilidade hemodinâmica. Foi submetido na manhã de hoje a mais um banho das queimaduras mais profundas e curativos, mostrando melhora de algumas lesões. Segue aos cuidados de terapia intensiva no CTQ”, diz o boletim médico.

Alta – A outra boa notícia para o torcedor rubro-negro é a possibilidade do atleta Francisco Dyogo deixar a o CTI nesta quarta e passar para o quarto do Hospital Vitória. O atleta ainda sente forte dores ao respirar, mas equipes médicas garantem que o quadro clínico do jogador vem apresentando melhoras. Ontem, o goleiro recebeu a visita de diversos atletas do time profissional do Flamengo, pousando inclusive para fotos. 

No fim da tarde desta segunda-feira, Cauan Emanuel, outro ferido no incêndio, recebeu alta médica e deixou o hospital. Ele foi o primeiros dos três feridos no incêndio no Ninho do Urubu a voltar para casa.  

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top