Assine o fluminense

Bota busca igualdade no Niltão

Glorioso sai atrás do Palmeiras, mas arranca empate por 1 a 1 no fim, na estreia pelo Brasileirão, em casa

O meia Leo Valencia foi importante para levar o Botafogo ao ataque no duelo diante do Palmeiras, que terminou empatado em 1 a 1, no estádio Nilton Santos

Foto: Vítor Silva / SSPress / Botafogo

O  Botafogo começou o Campeonato Brasileiro deste ano com um gostinho de quero mais. Após um primeiro tempo horrível, o time sofreu o gol de Guerra no início da etapa final, mas empatou em falha de Felipe Melo, que resultou em gol de Igor Rabello.  Depois pressionou, mas não conseguiu virar o duelo. 

O Palmeiras iniciou o jogo como manda o manual de Roger Machado: pressionando e sufocando o adversário nos primeiros minutos. A estratégia, porém, assim como nos dois últimos jogos, não surtiu resultado.

Logo, o Botafogo equilibrou e passou a dominar o duelo. As melhores chances alvinegras, no entanto, saíram de erros palestrinos e até mesmo Felipe Melo não foi bem na maioria de suas tentativas de passes.

Nas laterais, Marcos Rocha parece ter sentido as críticas dos últimos jogos, não subiu ao ataque e ainda errou diversos fundamentos. Do outro lado, Diogo Barbosa, que venceu disputa com Victor Luis, mostrou qualidade no ataque, mas segue inseguro na marcação.

O meio-campo, como um todo, era o principal problema alviverde. Em entrevista coletiva antes da partida, Roger Machado deixou claro os problemas de posicionamento de Lucas Lima e como isso vem prejudicando a equipe. Além disso, o camisa 20, vaiado no último jogo, voltou a se mostrar pouco participativo.

No intervalo, Roger identificou um dos principais problemas do Palmeiras em campo e trocou Lucas Lima por Guerra. Centralizado, sempre à frente da linha da bola e por vezes recebendo de costas para o adversário, o venezuelano fez tudo o que o treinador pede de seu meia armador e alterou a maneira de o Verdão jogar.

Assim, aos oito minutos, o meia foi premiado e o Palmeiras abriu o placar. Keno lançou Dudu, que venceu Igor Rabello na velocidade e entrou na área. O capitão esperou a passagem de Guerra, rolou de calcanhar e o camisa 18 deu um toquinho na saída de Gatito Fernández para vencer o botafoguense.

Mesmo com o Palmeiras bem na partida, Roger fez novas mudanças. Primeiro, o treinador sacou Willian e colocou Deyverson. Depois, trocou Bruno Henrique por Moisés. Alberto também fez três mudanças que, ao contrário das alviverdes, surtiram resultado.

Com 36 jogados, em novo levantamento na área do Palmeiras, Felipe Melo tentou fazer a parede em Igor Rabello, mas deixou o zagueiro avançar. O botafoguense furou o primeiro chute, a bola pingou e ele conseguiu acertar a finalização para empatar o duelo no Nilton Santos.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top