Assine o fluminense

Brasil e Argentina na Praia de Icaraí

Meninas do Niterói Rugby estarão em ação pelo Handbeach

A Praia de Icaraí tem recebido diversos torneios de Handbeach. Dessa vez, as areias receberão um clássico sul-americano

Marcelo Feitosa

Uma das maiores rivalidades do esporte sul-americano chegará em terras de Arariboia na noite desta sexta-feira. Isso porque as brasileiras do Niterói Rugby enfrentarão a seleção da Argentina na Praia de Icaraí, na Zona Sul da cidade, para um amistoso. Apesar de não valer título, as duas equipes encaram o duelo com muita seriedade, já que as brasileiras se preparam para o Nacional e o segundo turno do Campeonato Carioca e as argentinas terão as Olimpíadas da Juventude, no fim do mês, naquele país. O duelo também servirá para troca de experiência entre as jogadoras.

Para a atleta Ana Caroline Lacerda, de 18 anos e que atua na defesa, a equipe sul-americana vem crescendo no cenário mundial. Para ela, as atletas do Niterói Rugby sabem da importância de atuar em alto nível, sobretudo porque enfrentarão uma equipe com características diferentes. 

“Posso dizer que enfrentar uma seleção gera uma expectativa de jogo duro que trará benefícios para ambos os times, até porque cada qual teu seu estilo do jogo. É normal tanto para a Seleção Brasileira quanto para os clubes brasileiros fazerem mais jogadas de aéreas e ambas as seleções trabalharem mais com seus curingas arremessando ou realizando o giro”, explicou a jogadora.

Ane também explicou que o confronto servirá de análise para as brasileiras, não só para dar ritmo de jogo para as atletas como também servirá para observar as adversárias no Mundial. A equipe do Niterói Rugby costuma ceder atletas para a Seleção Brasileira, que estará no Mundial, em Kazan, no fim do mês.

“Vejo que esses confrontos são oportunidades para crescermos e evoluirmos taticamente, sabendo se adequar a quaisquer variações que um time de handebol de areia possa oferecer, sabendo que cada time tem seu modo de jogo, o qual está mais acostumado e que dá mais certo (como uma posição fixa de cada jogador e jogadas próprias)”, avaliou.

Para a experiente jogadora Simone Kopp Voit, apesar da mística do duelo envolver o já tradicional clima de animosidade entre Brasil x Argentina, a partida desta sexta-feira tem um caráter diferente e deve ser encarada como um período de desenvolvimento para todas as atletas que estarão nas areias.

“Não vejo com esse clima de rivalidade e confronto, e sim como momento de muitas trocas, aprendizagem e desenvolvimento. A Argentina escolheu o Brasil justamente por saber que é o país que tem o melhor Beach Handball do mundo (1º lugar no ranking mundial nos dois naipes) e sabe que por aqui encontra muita qualidade nas equipes brasileiras, o que possibilita uma forte preparação. Para nós também vai ser bem importante, pois estamos ajustando o novo formato da equipe, esse ano ocorreu a junção da juventude das meninas do Niterói Rugby com a experiência das meninas do Z5, então precisamos de ritmo e volume de jogo”, explicou.

Simone também garantiu que é normal que outras seleções venham ao Brasil para preparatórios. Isso se deve ao forte esquema de jogo apresentado pela seleção de handbeach e pelas equipes do país: “Assim como a Argentina está vindo fazer sua preparação aqui, o Chile também já veio ter essa mesma experiência com sua seleção feminina em Niterói, ambas as seleções sabem que por aqui encontram fortes equipes que vão ajudar muito no seu treinamento e desenvolvimento”, explicou.

O duelo começará às 19h30, na altura da Rua Miguel de Frias.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top