Assine o fluminense

Chefe da Mercedes sente falta de jovens

A temporada de 2018 da Fórmula 1 vem sendo marcada, mais uma vez, pelo favoritismo e o alto nível de desempenho de Lewis Hamilton, mas também pela evolução dos mais jovens, que deve culminar em uma verdadeira reformulação na formação de pilotos para 2019. E assim como alguns terão a oportunidade de guiar carros melhores, outros devem perder espaço, casos de Esteban Ocon e George Russel, atualmente na F2.

Os dois pilotos fazem parte do programa de desenvolvimento da Mercedes, mas não devem receber uma oportunidade como titulares tão cedo. Dessa forma, a tendência é de que ambos não estejam à frente de nenhuma equipe na próxima temporada, já que Ocon deve perder seu lugar na Force India para Lance Stroll, enquanto Russel não tem sido uma atração para outras equipes justamente por seu vínculo atual.

Uma das alternativas que se apresenta à Mercedes é investir em um acordo e “comprar vagas”, assim como fazem a Red Bull, que possui a Toro Rosso como equipe júnior, e a Ferrari, com acordos firmados junta à Sauber e a Haas. Entretanto, isso não parece algo possível nem mesmo para o chefe da equipe, Toto Wolff.

“Pilotos jovens são muito empolgantes. Todos nós nos sentimos bem com o talento chegando, e ajudá-los na chegada à F1 cria histórias bacanas. Estamos todos dispostos a encontrar o próximo astro. Mas, na Mercedes, nosso objetivo principal é nossa própria equipe de corridas e ter os melhores pilotos possíveis no carro para vencer corridas e competir pelos campeonatos”, disse o dirigente.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top