Assine o fluminense

Disputa política no Flu acaba em briga

Seguranças tiveram que controlar os ânimos das partes

Em uma reunião que repercutiu entrando pela madrugada desta quarta-feira o Conselho Deliberativo do Fluminense protagonizou cenas até mesmo de violência na reunião para aprovação das contas do presidente Pedro Abad referente à gestão de 2017. Um conselheiro da situação foi agredido por opositores, dando início a um tumulto generalizado. Seguranças tiveram que controlar os ânimos.

Os problemas começaram quando a oposição exigiu a abertura das contas referentes a 2016, alegando que o balanço daquele ano caiu de um superávit de R$ 8,3 milhões para um déficit de R$ 13,5 milhões. Foi colocada em votação a possibilidade de se marcar uma nova data para discutir a reabertura daquele balanço de 2016 ou seguir a votação referente a contas de 2017. A segunda proposta foi eleita por maioria.

Neste momento um conselheiro da situação se dirigiu à mesa diretoria e acabou sendo agredido com um soco. Um tumulto generalizado só foi interrompido com a ação dos seguranças. Diante deste fato Fernando Leite, presidente do Conselho Deliberativo, encerrou a sessão, gerando a revolta dos conselheiros da situação, que entenderam que a decisão fere o regulamento do clube e mostra um favorecimento aos opositores.

Sobre a agressão, os conselheiros da situação acusam a oposição de agir de forma violenta. Já os opositores garantem que o agredido passou boa parte da sessão debochando dos presentes. Uma nova data será marcada para a votação das contas. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top