Assine o fluminense

Flamengo prega erro zero contra o Boavista

Atletas e comissão técnica falam em atenção e respeito ao rival

O técnico Paulo César Carpegiani quer ver o Flamengo respeitando o Boavista e evitando os erros para conquistar o título da Taça Guanabara de 2018

Foto: Divulgação / Gilvan de Souza / Flamengo

O Flamengo segue se preparando para a decisão da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, programada para este domingo (18), às 17h(de Brasília), no Estádio Kléber Andrade, em Cariacica (ES). Apesar de ser favorito absoluto diante do Boavista, o time flamenguista mostra, no discurso de seus jogadores, a preocupação com o adversário. Os flamenguistas entendem que a vitória vai passar por um alto poder de concentração, que minimize os erros.

“Como toda final, este jogo contra o Boavista vai exigir de nós um grande poder de concentração. Não vai existir nenhum tipo de facilidade. O adversário é qualificado, conta com jogadores experientes e não vai sentir o peso de decidir. Temos que trabalhar com inteligência, diminuindo a margem de erro”, disse o atacante Henrique Dourado.
O zagueiro Juan concorda.

“O Boavista não se classificou por acaso para esta decisão. Tem um time experiente, com jogadores que sabem lidar com decisões. Portanto, a tendência é um jogo equilibrado e se cometermos muitos erros vamos acabar perdendo o título. O erro tem que ser minimizado, pois eles vão saber explorar isso. Temos que jogar de maneira inteligente, valorizando a posse de bola e nos impondo - disse o defensor.

O elenco do Flamengo faz seu último treino antes da final na manhã de hoje, ainda no Rio de Janeiro. Em seguida a delegação embarca para o Espírito Santo. O técnico Paulo César Carpegiani não fará mudanças em relação ao time que derrotou o Botafogo por 3 a 1 nas semifinais. Assim, se nada de anormal acontecer até a hora do confronto, o Rubro-Negro vai formar com: César, Pará, Jonas, Juan e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Everton; Henrique Dourado.

Fora de campo a diretoria documentos na Confederação Sul-Americana de Futebol (Conembol) um pedido de uma reunião presencial para tentar neutralizar a punição de jogar com portões fechados os dois primeiros jogos da Copa Libertadores. A ideia é conseguir sensibilizar os dirigentes da entidade sobre os danos que isso vai causar ao clube brasileiro. O Rubro-Negro foi punido por conta do comportamento de sua torcida na final da Copa Sul-Americana do ano passado. Atos de vandalismos foram cometidos no Maracanã e ao redor do estádio. As imagens correram o mundo. 

Carpegiani – Respeitar é preciso e essencial. Para o técnico do Flamengo, Paulo César Carpegiani, por mais que o Rubro-Negro seja favorito na decisão deste domingo, o Boavista chegou à final com méritos e não pode ser desconsiderado em momento nenhum. A vaga no quadrangular final é a meta do time e o treinador não irá poupar esforços para conseguí-la. 

“O futebol está muito nivelado. Sou do futebol gaúcho, onde o esporte é mais forte e até mais competitivo. Aqui, é mais jogado, e não é novidade que tenhamos a possibilidade de decidir a Taça Guanabara com o Boavista. Encaro como uma coisa normal, é mais uma tranquilidade de que lá na frente você já vá disputar um quadrangular final. Isso é o mais importante. Se o Boavista chegou, é porque tem qualidade”, disse Carpegiani, na coletiva de imprensa.

A partida será disputada em Cariacica, no estádio Kleber Andrade. Ao todo, no local, o Flamengo fez 13 jogos, com nove vitórias, dois empates e duas derrotas, marcando 20 gols e sofrendo 10. Mais uma viagem pela frente, só que para Carpegiani, o que importa é o jogo, e ele elogiou o palco da partida.

“O Kléber Andrade é um campo neutro para os dois. Alguns que já jogaram lá dizem que o gramado é excelente. Os dois vão sentir dificuldade”.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top