Assine o fluminense

Rússia e Arábia abrem o Mundial

Anfitriã entra em campo nesta quinta-feira, às 12h, em Moscou, pela primeira rodada do Grupo A da Copa do Mundo

Os russos sabem da difícil missão que é se classificar no Grupo A, que tem Egito e Uruguai. No entanto, uma vitória contra os sauditas poderá dar ânimo à equipe

Foto: Konstantin Rybin / Divulgação

Rússia e Arábia Saudita fazem o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2018 nesta quinta-feira (14), às 12h (de Brasília), no Estádio Luzhniki, em Moscou, capital russa, em duelo válido pelo Grupo A. A chave conta ainda com Egito e com Uruguai, que duelam na sexta-feira. Os russos, que estão há sete jogos sem vencer, lutam para não repetirem o vexame da África do Sul, que em 2010 se tornou o único anfitrião a ser eliminado ainda na etapa de grupos. 

Para evitar que o vexame aconteça, o técnico Stanislav Cherchesov destacou a necessidade de ganhar na estreia.

“Sabemos que a nossa classificação passa muito por conquistarmos um grande resultado na estreia. Esse jogo considero chave para a sequência do nosso trabalho, pois é muito complicado largar em desvantagem em uma competição de tiro curto como é a Copa do Mundo”,  explicou Stanislav Cherchesov.

A Arábia Saudita enfrentou muitos problemas no período pré-Copa, apesar de ter passado bem nas Eliminatórias asiáticas. A desorganização da federação local levou a demissão do argentino Edgardo Bauza a poucos meses da Copa começar. Caberá a seu compatriota, Juan Antonio Pizzi, que fracassou na missão de levar o Chile ao torneio, dar um rumo ao país. Os jogadores se mostram confiantes.

“Sabemos que estamos desacreditados e muitos nos colocam como quarta força. Somos, porém, um grupo de jogadores que sonha alto. A Rússia tem uma seleção forte e joga em casa. Mas vamos buscar um bom resultado”, disse Abdullah Al-Mayuf, goleiro titular da Arábia Saudita.

Em termos de escalação, os principais destaques do time russo são o experiente goleiro Igor Akinfeev, titular da seleção desde 2004, e o atacante Fyodor Smolov. O time perde muito porém, sem o artilheiro Alexander Kokorin, que não jogará o Mundial por conta de lesão na coxa direita. O lateral-esquerdo Mário Fernandes, brasileiro naturalizado russo e que foi revelado no Grêmio, é tido como titular. A melhor participação da Rússia em um Mundial foi o quarto lugar de 1966. 

A Arábia Saudita, que surpreendeu ao chegar nas oitavas de final na Copa do Mundo de 1994, guiada pelo ex-meia Majed Abdullah, maior jogador da história do país, aposta atualmente no oportunismo de Mohammad Al-Sahlawi, atacante de 31 anos. 

Pelo regulamento da Copa do Mundo, nesta primeira fase as equipes duelam em turno único dentro de seus respectivos grupos. Ao fim, os dois melhores colocados de cada chave se garantem nas oitavas de final.

o técnico da Arábia Saudita, Juan Antonio Pizzi talvez tenha uma das missões mais difíceis no Mundial: conduzir os árabes às oitavas de final. Antes do confronto contra a Rússia nesta quinta-feira, o treinador demonstrou otimismo com os seus comandados, e quer a equipe propondo o jogo.

“Queremos ser melhores na força física, nas táticas e também na técnica. Mas o meu estilo é de competir ativamente e ser o melhor. Gosto dos holofotes. Se estivermos nos holofotes e tivermos a bola, teremos resultados melhores”, afirmou o comandante.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top