NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Sonhos que foram interrompidos

 

 

As vítimas da tragédia do incêndio que atingiu o alojamento dos jogadores do Flamengo no CT do Ninho do Urubu, na madrugada desta sexta-feira (8), eram descritos como jovens promissores e alegres. Parentes e amigos, que estavam nas imediações do Centro de Treinamento em busca de informações, ressaltaram o comprometimento dos meninos com a instituição. A maioria – oriunda de outros estados – tinha origem humilde e via no Rubro-Negro o sonho de sucesso.

O zagueiro Arthur Vinícius completaria 15 anos hoje. Nascido em Volta Redonda, estava no Flamengo há três anos. O atleta morava com prima, tia e a mãe no bairro Volta Grande II, em Volta redonda. A família se organizava para viajar ao Rio de Janeiro para celebrar seu aniversário. 

Já o zagueiro Athila Paixão tinha saído do Sergipe há menos de um ano e foi aprovado no Flamengo após um período de testes de 10 dias. O menino foi revelado pela Escolinha Geração do Futuro, a mesma que revelou o craque Diego Costa, atacante do Atlético de Madri (Espanha).

O goleiro Christian já tinha servido à seleção e foi muito elogiado por Tite

Divulgação

 O goleiro Bernardo Pisetta era de Santa Catarina e começou no futsal. O atleta chegou a ter passagem pelo Athletico Paranaense antes de se transferir para o Flamengo. Ele estreou pelo Rubro-Negro em agosto do ano passado.

O também goleiro Christian Esmério era o que mais despertava atenção das categorias de base. O jovem colecionava passagens pela Seleção Brasileira, e era monitorado por clubes do exterior.

O lateral-esquerdo Jorge Eduardo nasceu em Além Paraíba, Minas Gerais. O atleta chegou aos 12 anos no Rio de Janeiro, e até então chegou a morar na casa de amigos. Foi morar no alojamento após a idade permitida pelo Flamengo (14 anos).

O zagueiro Pablo Henrique era primo do zagueiro Werley, que defende o Vasco da Gama e Nathan, do Atlético Mineiro. Chegou ao Rubro-Negro no ano passado e era considerado promissor e com boa estatura.

O lateral-direito Samuel Thomas tinha 15 anos e nasceu em São João de Meriti. O menino morava no Morro do Conceito e foi vice-campeão da Copa Votorantim com o Flamengo.

O atacante Vitor Isaías foi outra vítima da tragédia. Com 14 anos, o menino chegou ao Flamengo no segundo semestre do ano passado, vindo do Athletico Paranaense.

O meio-campista Gedson Santos – o Gedinho – tinha 14 anos e estava há poucos dias no Flamengo. O garoto se destacou na base do Athletico Paranaense e nasceu em Itararé (São Paulo).

O último a ser confirmado entre os mortos era o mais velho do grupo. O volante Rykelmo de Souza, de São Paulo, também conhecido como Bolívia, era promissor e muito querido entre os companheiros. Ele jogava na equipe Sub-17 e faria 17 anos no próximo dia 26.

Jogadores feridos revelam desespero

Divulgação


Jogadores feridos revelam desespero


O Flamengo confirmou que dentro do alojamento estavam 26 jogadores. Desses, treze conseguiram escapar e outros três estão internados em hospitais do Rio de Janeiro com ferimentos, além dos 10 mortos. Os feridos são Cauan Emanuel e Francisco Dyogo, internados no Hospital Vitória, enquanto Jhonata Ventura, que está em estado grave, está internado no Hospital Pedro II. 

No final da tarde de ontem, o Flamengo emitiu uma nota oficial sobre o estado de saúde dos meninos: “O Clube de Regatas do Flamengo informa que os atletas Cauan Emanuel e Francisco Dyogo estão em situação estável no Hospital Vitória, ambos acordados e conscientes. Os meninos apresentam algumas lesões de via aérea por inalação de fumaça e escoriações pelo corpo e seguem em observação, ficando internados na UTI de hoje (ontem) para amanhã (hoje). O chefe do Departamento Médico do Flamengo, Dr. Márcio Tannure, e o clínico cardiologista do Vitória, responsável pela internação dos atletas, Dr. Fernando Bassan, acompanham a evolução do quadro.

Já o atleta Jhonata Ventura está internado no hospital municipal Pedro II, em estado grave. Ele foi atingido na face, membros superiores e mãos, e tem queimaduras em 30% do corpo. Os médicos do Flamengo, doutores Luiz Baldi e Gustavo Caldeira, acompanham a situação de Jhonata, que está sob os cuidados da equipe especializada do Centro de Tratamentos de Queimados”, disse a nota.

Para os familiares, os meninos contaram os momentos de desespero durante o incêndio no alojamento. Eles disseram que durante a correria muitos jogadores ainda tentaram salvar pertences pessoais, como roupas e celulares. No hospital, Cauan disse para o pai que as chamas se alastraram rapidamente, e que a maioria das vítimas dormia nos fundos do alojamento.

Cauan Emanuel atua como zagueiro e tem 14 anos. O jogador, apesar da pouca idade, já disputou o Campeonato Cearense pelo Santa Cruz e surgiu jogando futsal, passando por clubes do Ceará. Está há três anos no Rio de Janeiro.

A ex-presidente do Flamengo Patrícia Amorim disse que visitou Cauan no hospital. “Ele dizia ‘tô com muita fome, tia. Quero comer’. Ele estava bem, estava muito sujo de fumaça, com os dedos queimados de leve, mas estava bem”, relatou Patrícia Amorim.

Já o goleiro Francisco Dyogo veio do Ceará e chegou ao Flamengo no ano passado. O empresário Anderson Lima, da empresa Soccer Way, afirmou que representa o goleiro cearense Dyogo Alves. Ele contou que o jovem chegou ao Rio de Janeiro em janeiro de 2018, e, antes de ser negociado com o Flamengo, também foi sondado pelo Fluminense. 

Já Jhonatan está internado em estado mais grave, com 30% a 35% do corpo queimado. Natural de Vila Velha (ES), atua como zagueiro no time de base. Por volta das 9h45, ele passava por uma cirurgia no Hospital Lourenço Jorge, e depois será transferido para o Hospital Pedro II, referência no tratamento de queimados. 

Até o fechamento desta edição, ainda não havia definição a respeito de velório e enterro, mas a apuração é de que o zagueiro do Vasco, Werley, já está tratando da remoção do corpo de Pablo Henrique para o interior de Minas Gerais. Também zagueiro de 14 anos, ele é nascido em Oliveira (MG), e é primo do jogador vascaíno.
 

Governo dá assistência às famílias das vítimas


Representantes dos ministérios da Cidadania e dos Direitos Humanos viajaram nesta sexta-feira (8) para o Rio de Janeiro, onde vão acompanhar o atendimento às famílias e às vítimas do incêndio que destruiu um dos alojamentos das divisões de base no Centro de Treinamento (CT) do Flamengo e matou dez pessoas.

“O governo federal acompanha o atendimento às vítimas e familiares do incêndio no centro de treinamento. E, para isso, uma comitiva de representantes dos ministérios já embarcou para o Rio de Janeiro nesta sexta (ontem). O governo quer se certificar [de] que todos os direitos dessas crianças e adolescentes estejam sendo observados e que a área destinada a eles tenha boa infraestrutura”, disse à imprensa, ontem à tarde, o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.


Scroll To Top