Assine o fluminense

Projeto Aruanã resgata ave marinha em Jurujuba

Debilitado, animal foi encaminhado para o Centro de Reabilitação de Araruama

Animal foi encontrado em Jurujuba

Foto: Evelen Gouvêa

Uma Fragata-comum (ave marinha) foi resgatada durante a manhã desta sexta-feira (06) nas areias da Praia de Jurujuba, Zona Sul de Niterói, por integrantes do projeto Aruanã. O animal, segundo moradores da região, estava no local desde a manhã de quinta, com uma das asas aparentemente quebrada. O socorro veio hoje por volta das 10h através de um chamado dos próprios pescadores da localidade ao grupo, que trabalha em parceria com o Projeto de Monitoramento de Praias - Bacia de Santos.

De acordo com a oceanógrafa Lorena Galleti, que também é coordenadora geral do projeto, o animal foi encaminhado para o Centro de Reabilitação de Araruama, na Praia Seca, onde será tratado e, quando estiver em boas condições novamente, solto de volta a natureza.

"O resgate ocorreu rapidamente por conta das parcerias em diversos pontos da costa. A gente atua nos municípios litorâneos, de Paraty a Saquarema. Sobre a ave, essa espécie é muito sensível, ainda mais com a asa machucada, ainda mais na areia - local que quase nunca vai. Isso explica o saco gular cheio. Ela será tratada aqui no centro da melhor maneira possível. Sobrevivendo, a gente faz a reinserção na natureza.

Segundo com pescador Roberto Gambelo, de 51 anos, o animal parecia debilitado e, assim que o viu, decidiu ligar e pedir socorro. "Eu a vi hoje pela manhã bem cedo. Os meninos que estavam aqui na praia disseram que estava desde ontem, mas não ligaram porque não sabiam do problema. Mas eu tratei logo de solicitar o socorro. O pessoal do projeto atendeu muito rápido, eficiente. Espero que fique tudo bem com o animal", contou, lembrando que a presença da ave no local não é tão comum.

"Elas ficam por aqui sobrevoando em busca de peixe, buscando o alimento. Mas é bom deixar claro que elas não param por aqui, ficam na ilha redonda - no alto mar", explicou.

Espécie - A ave é também conhecida como Tesourão - tendo seu nome científico Fregata magnificens, e, em média, mede cerca de um metro de comprimento e pesa apenas 1,5 Kg. Com dois metros de envergadura ela se alimenta de peixes que captura na água e até mesmo dos que são regurgitados por outras aves. Como não mergulha, a Fragata captura apenas os peixes que se encontram em região de fácil acesso.

Uma das coisas que mais chamam a atenção de quem encontra o animal primeira vez é o seu "papo", ou saco gular. As aves de sexo masculino possuem o papo grande e vermelho - o das fêmeas são menores, além do peito branco. O saco gular é usado durante o período de reprodução, quando nos machos, eles incham feito um balão e servem para atrair o sexo oposto.

Sobre o projeto - O Projeto atua no litoral do Rio de Janeiro (de Paraty a Saquarema), resgatando animais vivos que estejam debilitados e animais marinhos mortos para realização de necropsia e coleta de amostras para análises. Caso você aviste uma ave, tartaruga ou mamifero marinho encalhado na praia, vivo ou morto, entre em contato com o 0800-009-5444.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top