Assine o fluminense

‘Viraviradouro’: enredo de 2019 exalta a volta por cima


Vermelho e branca de Niterói vai celebrar na Avenida o retorno à elite do samba

Dia de São Jorge foi marcado por feijoada animada na quadra da escola, que aproveitou para anunciar o enredo

Foto: Lucas Benevides

Em ritmo de samba e muita alegria, a Unidos do Viradouro reuniu a comunidade na quadra da escola, no Barreto, para celebrar o Dia de São Jorge e apresentar o enredo do carnaval 2019, na elite do samba. Assinado pelo carnavalesco Paulo Barros, o enredo “Viraviradouro” será tema do próximo carnaval e busca mostrar na Avenida o poder dos recomeços. Nos próximos meses, o samba-enredo será definido através de um concurso.

De acordo com Paulo Barros, a inspiração para o enredo veio da história da própria Viradouro, que deu a volta por cima, após os dois últimos anos na série A do carnaval carioca, e retornou triunfante ao grupo de elite. O carnavalesco compara a vermelho e branca de Niterói a uma fênix, pássaro mitológico que ressurge das cinzas e renova suas forças.

“Quando recebi a missão de criar o enredo, não pensei em outra coisa que não estivesse relacionada à força, ao espírito de transformação e mudanças. O segredo da Viradouro é sua determinação. A escola passa por período difíceis, mas consegue se reerguer de forma gloriosa e renova as esperanças da comunidade. Através desse enredo vamos emocionar a Marquês de Sapucaí com histórias de superação e formas extraordinárias de dar a volta por cima,” disse o carnavalesco.

O carnavalesco Paulo Barros

Foto: Lucas Benevides

Ainda durante o evento, a Viradouro apresentou oficialmente para a comunidade o diretor de bateria, Mestre Ciça, que retornou à escola após 10 anos afastado. Segundo o presidente da vermelha e branca, Marcelo Calil, a Viradouro investiu em grandes contratações para voltar com força para o grupo especial e disputar o título com igualdade.

“Nos últimos oito carnavais, o Paulo Barros foi campeão em quatro. Ele é um profissional que gosta de desafios e possui uma ousadia fora do comum. Por isso, acreditamos que a escola pode ir longe com o Paulo no nosso time. Já o mestre Ciça, está retornando para casa e será abraçado pela comunidade. Com a sua volta, a Viradouro ganhou diversos ritmistas que transformaram o astral da escola. Tem gente trazendo o próprio instrumento de casa, porque quer participar dos ensaios ao lado dele. O Ciça é um profissional que agrega amor ao trabalho,” afirmou o presidente. 

Feijoada - A tradicional feijoada para celebrar o dia do Santo Guerreiro reuniu sambistas e devotos. O evento teve início às 14h e foi comandado pelos sambistas Toninho Geraes e Leandro Sapucahy, além dos grupos Sambaí e Estrelato. Na opinião da passista, Kissyla Silva, 27 anos, a tradicional comemoração ao Dia de São Jorge já faz parte do calendário de eventos da escola porque leva a comunidade à quadra da escola em clima de festa e harmonia. 

“Esses são os momentos em que todas as famílias se encontram para comemorar a data e se aproximar da escola. Isso é o que mantém o amor da comunidade pela escola e nos faz batalhar juntos pelo título”, disse. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Arnaldo rios
Enredo de superaçao acho que ja passou pela Sapucaí nao me lembro se foi a Grande Rio, se foi a Tijuca, a Beija Flor ou a propria Viradouro e o PB ja assinou esse enredo repetido vou pesquisar e depois vou fazer meu comentario final.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Arnaldo rios
Olha a Tuiuti deveria continuar explorando tema afro-brasileiro com o deslumbrante e extensos registros e inventarios que esboçam todos os conflitos e rompimentos com a opressao social que grandes civilizacoes e imperios africanos tiveram que serem submetidos onde reis, rainhas, principes e princesas, guerreiros e guerreiras foram tirados de suas patrias maes e trazidos para o Brasil onde perderam os seus titulos e nao foram tratados como ser social se tornando meros escravos. Tiraram-lhes tudo menos os que eles construiram em seus curriculos internos e muitos dos quais se tornaram grandes lideres e lutaram ate o fim de suas vidas para nao se submeterem a escravidao numa grande resistencia em prol da tao sonhada liberdade. Do Rei maior Gantazuba avô de Zumbi dos Palmares ate o ultimo e ultima guerreira como Tereza de Benguela q no Pantanal Matogressense fez um rico e poderoso governo e preferiu como outros lideres morrerem do que se entregar a escravidao. Todos sao aventureiros dos ceus e assaltavam os seus altos ceus para que o sonho de liberdade e o fim da escravidao acontecesse. Muitos para nao se submeterem a escravidao procuraram os palcos da politica e se aproximaram com muita beleza e elegancia e encantou as cortes como foi o caso de Chica da Silva e muitas escravas lindissimas por quem os nobres e ricos logo se apaixonaram transformando-as em poderosas damas da liberdade onde atraves da riqueza e propriedades puderam comprar a liberdade de muitos escravos. Tivemos muitos escravos que eram grandes administradores e escribas que tambem puderam guardar suas economias e pode comprar a sua liberdade e com o talento notavel logo virou rico comerciante e bem sucedido empresario e pode comprar pra si a tao sonhada liberdade de muitos escravos que tambem se tornaram homens livres e muitos se tornaram grandes expoentes na arte e na cultura surgindo grandes poetas e escritores como Machado de Assis e jornalistas como Jose do Patrocinio que no periodo do longo imperio contonuaram a luta pelo sonho de liberdade que ainda se tardia. As lutas continuaram. As opressoes dos escravocatas conservadores impediam que os politicos da epoca decretassem o fim da escravidao. Os escravos se revoltaram com a sua situaçao de sujeitos explorados em seus trabalhos por seus senhores resolvendo abandonar os seus afazeres e fugirem para refugios conhecidos como Quilombos em busca de abrigo e proteçao. Muitos intelectuais e ricos da sociedade pediam pelo fim da escravidao no Brasil mais a tirania dos antigos donos de negocios nao queriam deixarcde lucrar com a mao de obra barato a custo zero pois os escravos trabalhavam de graça. E tais coroneis faziam de tudo para atrasar a libertacao dos escravos temendo grandes prejuizos. Assim surgem os exuberantes Quilombos dos tempos atuais adquiridos por ricos empresarios e toda a sociedade e intelectuais que eram a favor da abolicao e pode abrigar os escravos fugitivos quw viveriam longe dos maltatos e petseguicoes dos seus senhores e passaram a ter uma vida mais digna. Os quilombos eram bem diferente do quilombo liderado por Zumbi dos Palmares.Agora os quilombos representavam o clamor de toda a sociedade brasileira que pediam o fim da escravidao. Os quilombos eram grandes fazendas onde os escravos semi libertos podiam se oculpar do cultivo tanto de produtos que eles vendiam pra sobreviver como tambem ao cultivo das flores chamada de Camelias que a partir de entao protagonizou esse sonho de liberdade pois tambem como os escravos africanos foram trazidos de terras distantes e foram colocados no solo estranho brasileiro e sobreviveram a todas as opressoes vividas e sofridas mais nao sucumbiram assim acontecem com as flores Camelias q tambem foram cultivadas na asia com clima muito frio e eram muitos frageis e sobreviveram a todas as dificuldades e foram retiradas do seu ambiente natural e foram trazidas pra uma terra estranha aos seus costumes e sobreviveram como os africanos apesar de tantas dificuldades em nossas terras brasileiras. No Quilombo do Leblom no Rj os negros tiveram os primeiros contatos com a referida rosa chamada de Camelias e suas maos sofridas e calejadas cuidaram dessas flores e perceberam que tudo tinha a ver com a historia daquela planta e a ligacao e o amor entre ambos se tornaram tao crescentes q as camelias comecou a desenhar e motivar a saga final da liberdade se tornando simbolo da liberdade e que todos que fossem a favor da abolicao usariam em suas vestimentas e marcaria a epoca como grande força e potencial politico contra o fim da escravidao no Brasil. Os quilombos se tornaram uma atração turistica e viabilizou os transportes maritimos e terrestres para que tanto os escravos fugitivos conseguissem fugir com mais agilidade e chegar salvos aos refugios dos abertos quilombos. Tambem como se tornou tao popular a ideia da abolição os quilombos foram abertos para a visitacao do publico e muitos passavam p dia todo fazendo churrasco, cantando sambas, dançando jongo batido com as palmas das maos e na madrugada ao deixar o local a serenata pelas ruas continuavam ate todos tomarem os seus destinos em carrocas e charretes e barcos. Os quilombos do passado eram fechados e nao se comunicavam com a sociedade mais os atuais era participante e fazia questao de se interar e interligar com a sociedade e assim cresceu e floresceu e foi aceito como uma grande corrente politica onde todos aderiram pra por fim a escravidao. Tivemos os Quilombos de Jabaquara em Sao Paulo que foi o pioneiro e muito importante e as Camelias do Brasil se tornou uma forte corrente politica no fim da monarquia e ja pensava na criacao de um novo regime de governo a republica que ja surgia. A princesa Izabel filha de Dom Pedro II prestigiou a ideia da abolicao no inicio muito timidamente apoiava essa inspiracao temendo represalias por causa de sua autoridade e vendo que monarquia estava prestes a sucumbir e a midia incentivava o fim da monarquia e o fim da abolicao e a ascensao da republica. Dessa forma a princesa Isabel para manter viva a monarquia resolveu aderir a ideia de aboliçao e colocou o simbolo da camelia em seus vestidos e expos a sua decisao de se enganjar nessa luta e fazer crescer a sua popularidade ainda mais quando criou o.mais novo quilombos dentro do proprio Palacio de Petropolis e assim foi um grande momento politico para preservar a monarquia. A princesa realizou grandes festas e eventos como o desfile em carros aberto pelo centro de petropolis a fim de arrecadar fundos em prol da abolição e melhorar as comodidades nos diversos quilombos como o de petropolis. As lutas contonuaram escravos maltratados e esplorados se uniram pra irem contra os atos exploratorios de seus donos e ate se armaram havendo grandes saques nos depositos e celeiros dos seus senhores. Houve muita violencia e derramento de sangue e a policia com muita truculencia combateu a mando dos senhores os escravos rebeldes que passaram a atacar e depredar as pessoas nas ruas e quebravam os vidros das lojas. A sociedade brasileira e a princesa Izabel queriam apressar o fim da escravidao mais os politicos impediam tal edição do tal decreto e com muito custo foi passado em plenario e votado unanimamente pela maioria da bancada politica o decreto lei outorgando o fin da aboliçao no Brasil na sessão de 13 de maio de 1889 onde foi realizada uma grande festa onde a princesa foi grandemente homenageada e recebeu muitos presentes como exemplares de rosas naturais de camelias do brasil e em formas artesanais tambem. Mesmo com esse grande feito da abolicao tardia nao perpetuou a monarquia e a princesa regente nao conseguiu se a primeira rainha da monarquia no brasil era isso que ela esperava dar continuidade ao seu governo mais foi impedida pelos ideiais republicanos que logo instauram a republica proxima a abolição da escravatura no brasil. Isso que uma sinopse triunfante de uma linda e verdadeira historia pra ser encenada com muito sentimento e expressso na Sapucaí.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top