NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Ousadia de um mestre

 

Em uma das paradinhas, todos os ritmistas abaixam, enquanto só os tamborins ficam em pé e solam o samba

Foto: Douglas Macedo

Depois de um hiato de 10 anos, Mestre Ciça retorna à Viradouro elevando a qualidade da Furacão Vermelho e Branco. A audácia é uma das premissas do mestre, que contou para O FLU na FOLIA algumas das surpresas que vai mostrar na avenida. 

“Uma das paradinhas que estamos preparando é bem especial. Eu viro para os jurados, que é uma característica minha, e os tamborins ficam no meio da bateria em pé, enquanto todos os outros vão abaixar”, adianta Ciça. 

Os ritmistas vão solar os tamborins dentro do samba-enredo, o que segundo o mestre já é um desafio. 

“Essa paradinha, por si só, já é audaciosa, porque não é fácil. Fazer isso na quadra é uma coisa, mas quando a gente coloca ao ar livre, na Sapucaí, com fantasia, é difícil de segurar”, explica. 

Em outra das quatro paradinhas, a rainha Raissa Machado irá fechar a bateria junto com Ciça. “É algo pequeno, mas muito bacana”, aponta.

Ensaios técnicos na Sapucaí foram suspensos em 2017 por falta de verba

Foto: Divulgação/Alexandre Macieira/Riotur


Eles estão de volta 

Depois de dois anos, os ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí estão de volta!

Isso foi possível graças a um acordo entre a Liesa e a Light, com patrocínio através da Lei Rouanet. Com entrada gratuita, os primeiros ensaios já começam neste domingo (10), às 20h, com a participação da Vila Isabel, Mocidade e Unidos da Tijuca.

No sábado 16 é a vez do Salgueiro, Viradouro e Grande Rio.

Dia 17 tem Portela, São Clemente e Mangueira.

Já no dia 23 é a vez do Império Serrano, União da Ilha e Imperatriz.

No dia 24, último dia de ensaio técnico, a Paraíso do Tuiuti e Beija-Flor fazem o teste de luz e som da Marquês.  

 

Criatividade é tudo 

A dupla Gabriel Haddad e Leonardo Bora tem dado um show na idealização do enredo da Acadêmicos do Cubango. Os carnavalescos abusam da criatividade e trazem soluções bem interessantes para a escola. As fantasias da Ala das Baianas, por exemplo, terão guirlandas e cestas com pipoca de verdade, que também estará presente no abre-alas. E não para por aí: eles usam tingimentos naturais nas composições. As roupas são tingidas com cascas medicinais e chás, como o chá preto e o mate. 
Neste ano, a Cubango tem como enredo os ex-votos, presentes dados em devoção. 

Workshop 

Nos dias 25 e 26 de fevereiro, acontece o Workshop “Eu Sambo Assim – International”, que vai para a sua quarta temporada e oferecerá oito aulas com professores muito especiais. O evento acontece no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro, na Tijuca, das 14h30 às 21h. O projeto “Eu Sambo Assim”, criado em 2015, já formou mais de 350 alunos no Brasil. Ao longo do ano, as aulas são gratuitas e voltadas às comunidades em situação de vulnerabilidade social. Mas, nestes dias, será cobrado o passe diário de R$ 120. O full pass, que dá direito a todas as aulas, custa R$ 200. As aulas terão a presença de musas e rainhas de bateria.

Deusa

Elza Soares decidiu retomar sua alma carnavalesca e virou madrinha do bloco Alegria Sem Ressaca, que sai no dia 17, às 9h, na orla de Copacabana. Ela também será destaque no carro abre-alas da Mocidade Independente de Padre Miguel, depois de 8 anos fora da avenida. Disposição não falta, apesar da coluna cheia de pinos que a obriga a sessões de fisioterapia. E, no dia seguinte ao desfile, a cantora embarca para o Equador, onde começa uma série de shows internacionais. 

 
Scroll To Top