Assine o fluminense

Prefeitura injeta R$ 4 milhões nas escolas de samba de Niterói


A Unidos do Viradouro receberá a maior fatia da subvenção: R$ 2,1 milhões

A Acadêmicos do Cubango vai receber um aumento de R$ 800 mil na subvenção da Prefeitura de Niterói neste ano

Arquivo / Evelen Gouvêa

A verba da Prefeitura de Niterói destinada às três maiores escolas de samba da cidade aumentou até 133% neste ano. A Unidos do Viradouro, que representa o município no Grupo Especial, receberá R$ 2,1 milhões neste carnaval, enquanto a Acadêmicos do Cubango terá a subvenção de R$ 1,4 milhão e a Acadêmicos do Sossego, R$ 500 mil. Segundo o Executivo, os valores serão repassados às agremiações até o mês que vem.

No carnaval de 2018, a Viradouro, que ainda desfilava na Série A, recebeu R$ 1,5 milhão da Prefeitura de Niterói. A disparidade da verba em relação às outras escolas foi explicada pelo título que a vermelho e branca já trouxe para a cidade. Neste ano, o repasse é 40% maior. 

A Cubango, que busca o passe para o Grupo Especial, é uma das mais felizardas, com um aumento de 133% na subvenção da prefeitura. Na folia do ano passado, a verde e branco recebeu apenas R$ 600 mil, pulando para R$ 1,4 milhão neste carnaval. A escola foi aclamada pelo público e por críticos no último carnaval, ao levar para a Marquês de Sapucaí um enredo sobre Arthur Bispo do Rosário. 

A Acadêmicos do Sossego conseguiu se segurar no grupo de acesso do carnaval carioca, escapando do rebaixamento, e não pretende desperdiçar essa chance. Para ajudar, a Prefeitura de Niterói aumentou de R$ 300 mil para R$ 500 mil a verba para a agremiação do Largo da Batalha. 

De acordo com o presidente da Sossego, Wallace Palhares, a subvenção vem em boa hora. Em meio ao corte de verbas da Prefeitura do Rio de Janeiro, as escolas que desfilam na Marquês de Sapucaí se veem em meio à crise para colocar o carnaval na rua. 

“Esse repasse nos ajuda e muito no nosso projeto de construção do Carnaval 2019, uma vez que as agremiações passam por uma fase turbulenta com esse corte subvenção”, salientou o presidente da Sossego. 

Wallace aponta que a escola precisou se reestruturar para dar conta de todos os preparativos com a verba disponível. 

“Estamos tendo que passar por inúmeros ajustes em nosso orçamento, renegociado preços de materiais, mão de obra e etc, um verdadeiro malabarismo. E esse considerável aumento no repasse vindo de Niterói foi o que deu “fôlego”, para que nosso carnaval consiga ir pra rua. Chegará em ótima hora”, agradeceu o presidente. 

A Acadêmicos do Sossego ainda tem esperança de que haja um patrocínio extra através da Prefeitura do Rio, que ajude a fechar as contas e finalizar o desfile de 2019. 

Corte - No final do ano passado, a Prefeitura do Rio anunciou que as escolas de samba que desfilam no Grupo Especial receberiam R$ 500 mil, cada uma, ou seja, um corte de 50%. O que também pesa sobre as agremiações é a perda de grandes patrocinadores. Para a Série A, a prefeitura destinará a cada escola metade do valor do Especial, ou seja, R$ 250 mil, considerado inadmissível pela Lierj. 

Procuradas, a Viradouro e a Cubango não responderam sobre os repasses. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top