Assine o fluminense

Viradouro no páreo das quatro favoritas


Mangueira, Salgueiro e Vila Isabel também brilharam no Grupo Especial

Unidos do Viradouro fez um desfile que impressionou a Marquês de Sapucaí. Foto: Douglas Macedo

Foto: Douglas Macedo

Viradouro, Salgueiro, Vila Isabel e Mangueira se destacaram nos dois dias de desfile do Grupo Especial, no domingo e segunda-feira. Com apresentações grandiosas, que trouxeram magia, religião e muita aula de história, as escolas são as grandes favoritas para o título do Carnaval de 2019. O resultado será divulgado hoje, após apuração na Praça da Apoteose, a partir das 16h.

A Unidos do Viradouro, representante de Niterói na elite do carnaval, encantou a Marquês de Sapucaí no primeiro dia de desfiles. O carnavalesco Paulo Barros trouxe efeitos especiais, transformação e interação com o público no enredo “Viraviradouro”. Aos gritos de “a campeã voltou”, quem assistia da arquibancada voltava a ser criança novamente com a magia e encanto levados para a Avenida.

Todos as alegorias da vermelho e branca apresentaram uma surpresa. Na Comissão de Frente, o livro mágico da Viradouro, que apresentava o que viria pela frente, explodia e príncipes se transformavam em sapos em apenas 8 segundos. Na segunda alegoria, bruxas voaram pela Sapucaí penduradas em suas vassouras, em outro, um navio fantasma chamou atenção. 

O carro batizado de “Holandês Voador” fazia alusão ao filme Piratas do Caribe e trazia um pirata pendurado, que girava em torno da alegoria. A surpresa ficou completa quando um motoqueiro fantasma, que soltava fogo na motocicleta, desceu pela rampa da quinta alegoria, invadindo a pista, no meio das alas. 

Mangueira foi ovacionada pelo público na Avenida

Foto: Fernando Grilli/Riotur

Outra favorita ao título, a Acadêmicos do Salgueiro apresentou uma homenagem ao orixá da justiça, Xangô, recebendo uma das recepções mais calorosas do público presente na Sapucaí. O enredo clamava pelo fim da impunidade, debatendo a justiça no Brasil. A escola levou 3.500 componentes para a Avenida em busca do décimo título e o primeiro desde 2009. 

A primeira representação de Xangô apareceu na Comissão de Frente, que demonstrou a devoção do orixá no sincretismo religioso com a figura de São Jerônimo, retratando a sabedoria e a justiça da virtude dos negros e dos seus ancestrais. Um dos participantes do ato foi o ator Eri Johnson. A primeira ala deu destaque ao fogo, com uma dança feita para o orixá, seguindo de muito vermelho e dourado. As religiões de origem africana foram destaque. 

Já na segunda, a Unidos de Vila Isabel contou a história de Petrópolis, desde antes do período imperial até os dias de hoje. Cinco carros gigantes e imponentes levaram um desfile luxuoso para a Avenida. Até uma carruagem imperial foi reproduzida pela agremiação no abre-alas, com três acoplados em 60 metros de comprimento. Familiares da vereadora assassinada Marielle Franco fizeram parte de um dos carros, que tratava sobre a abolição da escravidão.

A escola, no entanto, pode ser prejudicada no resultado final devido a um atraso na evolução da apresentação. A agremiação encerrou o desfile em um minuto além do tempo permitido, 1h16. Segundo o regulamento, a escola perde um décimo a cada minuto estourado.
Ovacionada pelo público presente e apontada como favorita na disputa pelo título, a Estação Primeira de Mangueira falou sobre os heróis populares que não aparecem nos livros de história, dando atenção aos heróis da resistência negros e índios. O objetivo era mostrar a história por outro olhar, tratando Pedro Álvares Cabral como um invasor português, não como um desbravador. 

O público vibrou já na Comissão de Frente, que fez uma referência à vereadora Marielle Franco, representada por uma criança que contracenava com dançarinos fantasiados de índios e negros, representando as etnias esquecidas e renegadas da história do Brasil.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top