Assine o fluminense

Novas regras nos aeroportos

Anac: passageiros devem chegar aos aeroportos duas horas antes dos voos para evitar transtornos

Passageiros enfrentam filas na área de embarque e desembarque de vários aeroportos do país

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) distribuiu nota nesta segunda-feira (18) recomendando que os passageiros cheguem com duas horas de antecedência para o embarque em voos nacionais e internacionais. Com muitas filas em alguns terminais, começaram a ser implantados, em todo o país, nesta segunda-feira, os novos procedimentos de inspeção de bagagem e de passageiros. A meta é aumentar o nível de segurança.

A nota é clara: “a Anac pede que os passageiros cheguem ao embarque com duas horas de antecedência e sugere que, àqueles que embarcarem com notebooks, que retirem antecipadamente esses equipamentos da bagagem de mão, assim como cintos, relógios e objetos metálicos antes da passagem pelo pórtico (raios-X), para colaborar para que o processo seja feito com mais celeridade”, diz a  agência.

No site da Anac, a agência disponibilizou um material com perguntas e respostas para orientar os passageiros e tirar dúvidas. Conforme a nota, a Anac está acompanhando a implantação dos novos procedimentos e procurando identificar os problemas.

“Foram observados impactos específicos em alguns terminais, com maior reflexo no aeroporto de Congonhas (SP). O órgão regulador está em contato com o operador aeroportuário a fim de identificar problemas e soluções a serem implementadas. A agência lamenta o incômodo observado hoje em alguns terminais e pede a compreensão dos passageiros impactados, tendo em vista que a adoção desses procedimentos tem como único objetivo zelar pela segurança de todos os passageiros e seus familiares no transporte aéreo brasileiro”, acrescentou a nota.

s novas medidas de inspeção estão previstas em norma da  Anac. A partir de agora, procedimentos que já são adotados em voos internacionais passarão a fazer parte também da rotina de quem viaja dentro do país. Uma das mudanças é a revista física feita de forma aleatória. Ela será realizada em local público, por agentes do mesmo sexo do passageiro. Caso o passageiro solicite, a revista pode ser feita em um local reservado e uma testemunha como acompanhante.

Bagagem de mão – Outra medida que passa a ser adotada é a retirada de notebooks da bagagem de mão. Será feita também uma inspeção manual, de forma aleatória, de bagagens de mão no momento que o passageiro estiver passando pelo equipamento de raios X. Em todos os casos, se a pessoa se recusar a realizar o procedimento, será impedida de ter acesso à área de embarque.

Para a estudante Dayane Souza Lopes, 20 anos, a revista foi rígida no aeroporto de Curitiba, onde ela pegou um voo para o Rio de Janeiro. “Pediram para a tirar a bota, porque, quando passei, no raio-X apitou. Quem tinha laptop estavam pedindo para tirar da bolsa. Apesar disso, até que a fila andou rápido, cerca de uns 20 minutos”,  acrescentou.

Priscila Tavares viajou a passeio com a família para Recife. Para ela, as novas medidas aumentam a sensação de segurança. “[As medidas] são desgastantes, há um pouco de atraso, mas são necessárias. É melhor ter isso fora do avião do que algum outro problema maior que arrisque a nossa vida”. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top