Assine o fluminense

Capitão ferido em intervenção tem quadro de saúde estável

Oficial do Exército foi atingido por disparo feito por bandidos que estavam em Ciep no Rio

É considerado estável o quadro de saúde do capitão do Exército Diego Martins Graça, baleado no pescoço, no último sábado (15), durante operação do Comando Conjunto das Forças Armadas em três comunidades da zona norte do Rio. O oficial foi ferido no pescoço por criminosos que usaram a estrutura de um Centro Integrado de Educação Pública (Ciep), com visão privilegiada do alto, para atacar os militares que chegavam para uma operação no Complexo da Penha. Ele é o primeiro oficial ferido em combate durante a intervenção federal na segurança pública do Rio, iniciada em fevereiro deste ano.

Ontem, o Exército homenageou os três militares mortos em agosto durante uma operação conjunta de segurança pública no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Familiares dos três receberam em nome dos combatentes a Medalha Sangue do Brasil, destinada a militares mortos em missão, em uma cerimônia na Vila Militar, na zona oeste da capital fluminense.

O capitão Diego Graça foi rapidamente socorrido pela tropa e levado às pressas para o Hospital Central do Exército (HCE), em Triagem, onde está internado. De acordo com o porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), coronel Carlos Cinelli, a condição dele é estável. 

“Não foi submetido a cirurgia. A equipe médica avaliou que se houver necessidade de procedimento, essa oportunidade ainda vai se apresentar, mas, no momento, não foi necessário. O ferimento foi na altura do pescoço. É um local com muita enervação, e, como toda lesão em que existe risco de danificar uma parte de nervos, é imprecisa no sentido de prognóstico. Ele está consciente, está falando, lúcido. Os familiares estão acompanhando, mas a equipe ainda não tem um prognóstico assertivo sobre a evolução”, declarou.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top