Assine o fluminense

Carros roubados à venda em site

Polícia desbarata quadrilha que clona veículos de luxo e os anuncia na internet, faturando R$ 500 mil por mês

Dois Jeeps Renegate, uma Range Rover Evoque e um Honda HRV foram apreendidos em uma residência na Zona Oeste do Rio. Casal suspeito de integrar quadrilha foi preso

Lucas Benevides

A Polícia Civil desarticulou uma quadrilha responsável pela venda de carros de luxo roubados. Os veículos eram clonados e oferecidos no site OLX, de compra e vendas na internet. De acordo com as investigações, o bando lucrava cerca de R$ 500 mil por mês com os negócios ilícitos.

“Os carros eram anunciados entre R$ 80 mil e R$ 100 mil e o bando conseguia vender entre 5 e 6 carros por mês. É possível dizer que só em 2019 esse bando teve um lucro de R$ 2 milhões”, revelou o delegado titular da 73ª DP (Neves), Renato Perez.  

Na última terça-feira (30) um casal que integraria a quadrilha foi preso em uma casa de luxo em um bairro de classe média na Zona Oeste do Rio. Segundo a polícia, a dupla era responsável por manter contato com as vítimas e finalizar as negociações. Quatro veículos clonados (dois Jeeps Renegate, uma Range Rover Evoque e um Honda HRV) foram apreendidos na residência do casal. O carros já estavam anunciados para venda na internet. 

O delegado contou que o homem apontado como chefe da quadrilha foi preso no ano passado, também vendendo carros roubados pela internet, mas foi colocado em liberdade pela Justiça e está foragido. Na ocasião, os policiais encontraram dois Hondas Civic roubados na casa dele. Como se não bastasse, ele já era investigado por outras delegacias pelo mesmo crime. 

De acordo com Perez, a polícia identificou o grupo através de investigações que tiveram início em janeiro deste ano. Um morador de São Gonçalo interessado em um Honda HRV anunciado por R$ 78 mil suspeitou dos vendedores e procurou a polícia. 

“Conseguimos identificar esse bando que estava usando a internet para enganar as pessoas. Pedimos para que os mandados de prisão fossem representados e cumprimos nosso papel”, explicou Perez. 

Procurada, a OLX informou que não teve acesso a detalhes deste caso e, por isso, não foi possível investigar ou tomar as devidas providências. A OLX reitera, ainda, que está sempre à disposição das autoridades para colaborar no que for necessário para a apuração dos fatos. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top