NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Confirmado: arma encontrada na casa de Flordelis foi usada para matar pastor

O Instituto de Criminalista Carlos Eboli (ICCE) confirmou na noite desta segunda-feira (15), que a arma apreendida na casa da Flordelis foi a mesma que matou o pastor Anderson do Carmo. Uma perícia preliminar  realizada na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) já havia apontado que a arma de fogo havia sido utilizada no crime, mas a polícia aguardava o confronto baslístico feito pelo instituto para confirmar o ocorrido.  A confirmação foi feita no momento em que o caso completa um mês.

Foram ao menos 15 tiros que, por volta das 3h15 da madrugada do último dia 16 de junho, que atingiram o líder religioso Anderson do Carmo, esposo da deputada federal e cantora gospel Flordelis, a maior parte, nove, na região da virilha. Passados 30 dias da morte, a Delegacia de Homicídio (DH) de Niterói ainda busca por respostas sobre a motivação e o número de pessoas que participaram do crime. Até o momento, dois filhos da parlamentar, um biológico e outro adotivo, estão presos sob a suspeita de participação na execução. 

A Polícia Civil ainda realiza algumas diligências. A Polícia Civil reforça que Flordelis prestou dois depoimentos como testemunha, mas não descartou a hipótese de que ela esteja envolvida.  

Na última semana, em uma imagem divulgada nas redes sociais a deputada aparece usando uma pulseira que era do pastor Anderson, que ela alegava ter sumido de sua residência. O sumiço da joia foi falado por ela durante a coletiva de imprensa realizada no dia 25 de junho.  

Em nota, a assessoria de Flordelis disse que a pulseira foi encontrada durante uma reorganização na casa da família da deputada.  

“Na rearrumação interna da casa, depois da enorme desordem em que ela ficou, a pulseira foi encontrada e, desde então, como memória e homenagem ao marido, a deputada passou a usá-la com a aliança que foi do marido. Não a tirou mais do braço”. 

Demora -  O advogado Ângelo Máximo, assessor jurídico dos familiares de Anderson do Carmo, revelou na semana passada que a mãe, o pai e irmã do líder religioso querem a solução do caso e que todos os envolvidos sejam punidos. Ainda segundo ele, apesar das investigações ocorrerem de forma sigilosa, alguns tipos de vazamentos, por parte da polícia, podem atrapalhar na conclusão.

Scroll To Top