Assine o fluminense

Coronel é executado em Maricá

Subcomandante do 4º CPA foi atacado a tiros ontem de manhã, em rua movimentada do centro da cidade

Agentes da Divisão de Homicídios e técnicos da perícia vasculharam o carro das vítimas em busca de pistas

Foto: Colaboração/ Paula Valviesse

O subcomandante do 4º Comando de Policiamento de Área (CPA), órgão responsável por sete Batalhões de Polícia Militar na região, coronel Ivanir Linhares Fernandes Filho, de 49 anos, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feria (31), no Centro de Maricá. O coronel saía de um carro, por volta das 10h, juntamente com o sargento Luiz Cláudio Carvalho da Silva, na Rua Domício da Gama, próximo ao Hospital Conde Modesto Leal, quando três homens em um Jeep Renegade branco efetuaram pelo menos 14 disparos contra eles. 

Coronel Ivanir Linhares já comandou batalhões do Méier e de Mesquita. Ele deixa mulher e um casal de filhos

Foto: Reprodução

O coronel levou um tiro na barriga e o sargento foi atingido por ao menos dois disparos, no peito e em uma das pernas. Eles foram socorridos por funcionários do hospital, mas o coronel Ivanir não resistiu ao ferimento. Já o sargento Luiz Claudio foi transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, em São Gonçalo, onde passou por cirurgia e segue estável.

O caso está sob investigação da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, que segundo o delegado titular, Fábio Barucke, não descarta nenhuma possibilidade, mas trabalha por enquanto com a hipótese de execução. Ainda de acordo com o delegado, a linha seguida terá como apoio a possibilidade de ambos os militares, o coronel e o sargento, serem os alvos diretos do crime. Além disso, de acordo com Barucke, o depoimento do sargento Luiz Claudio será colhido e será de grande importância para a resolução do caso.

“A principal linha de investigação é execução. Já temos alguns detalhes, mas que não serão divulgados no momento para não prejudicar o andamento do caso. Foram pelo menos 14 disparos. A perícia identificou munições de dois calibres diferentes: nove milímitros e 380, e estamos apurando a possibilidade de um dos militares ter revidado, mas a princípio as armas deles parecem intactas. O veículo foi encaminhado para a DH, onde passará por nova perícia, com desmanche, para recuperação de todas as cápsulas. O importante é o depoimento do sargento, que sobreviveu ao crime, e poderá nos fornecer mais detalhes”, declarou Barucke, acrescentando que imagens registradas por câmeras de segurança da área e de importantes vias da cidade estão sendo analisadas.

Segundo o coronel Fernando Salema, comandante do 12º BPM (Niterói), que faz parte da abragência do 4º CPA, assim como os batalhões de São Gonçalo, Nova Friburgo, Cabo Frio, Petrópolis, Teresópolis e Itaboraí, na primeira imagem de câmera de segurança já verificada superficialmente no local é possível ver o momento que o Jeep fecha o carro dos militares, um gol prata.

“Na imagem dá para ver que um deles desce do carro e efetua os disparos. A rua estava movimentada e ele não usava nada para cobrir o rosto. Depois disso, o atirador entra no veículo e eles fogem. O subcomandante tinha ido ao cartório e foi abordado quando saía de carro. Execução a gente sabe que foi, mas pode ter sido por vários motivos. Nós que trabalhamos em unidades operacionais estamos sempre muito expostos”, avaliou Salema.

O coronel Ivanir Linhares Fernandes Filho, estava há 29 anos na polícia e servia como subcomandante do 4º CPA há cerca de dois anos e meio. Em nota, a PM destacou outros cargos ocupados pelo coronel, que comandou o 3º BPM (Méier) e o 20º BPM (Mesquita). 

Amigos do PM assassinado estiveram no local do crime, entre eles o comandante do 4º CPA, Danilo Nascimento da Silva, que em poucas palavras descreveu seu amigo e companheiro de trabalho:

“Ele sempre foi um profissional brilhante, exemplar, querido por todos. Aguardamos agora a investigação para termos um desfecho”, disse Nascimento.

Outro amigo do coronel, Alexandre Barcellos, que nesta quarta-feira o aguardava para almoçar, tendo conversado com ele por telefone cerca de meia hora antes do crime, também foi ao local. Para ele, a PM sofreu uma grande perda:

“Era uma excelente pessoa, um amigo íntegro, íamos almoçar, tinha marcado com ele em Niterói, nos conhecíamos há anos, uma pessoa muito íntegra”.

O subcomandante deixa mulher e um casal de filhos, de 17 e 10 anos. Ele era natural do Rio de Janeiro, mas morava em Inoã, em Maricá há seis. O enterro do coronel Ivanir Linhares está marcado para esta quinta-feira, às 15h, no cemitério Memorial Parque Nycteroy, no bairro Vista Alegre, em São Gonçalo. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top