Assine o fluminense

Niterói: dor marca enterro de atleta

Cerca de mil pessoas participam de manifestação por ruas da Zona Sul

Muito abalados, amigos e familiares se despedem de Dyogo

Foto: Colaboração/ Isabelle Villas Boas

Por Anderson Justino

Mais de mil pessoas participaram, na tarde desta terça-feira (13), do sepultamento do adolescente Dyogo Xavier Costa, jogador da divisão de base do América FC, no Cemitério Municipal São Francisco Xavier, em Charitas. Dondom ou Coutinho, como era conhecido, foi morto na última segunda-feira (12) durante uma operação do Comando de Operações Especiais (COE) da PM contra traficantes na Grota do Surucucu, em São Francisco, na Zona Sul de Niterói. Após o enterro, parentes e amigos, incluindo os amigos que acusam a PM de tê-lo confundido com um bandido e atirado, realizaram manifestação após o sepultamento, com passeata do cemitério até a comunidade, passando pela orla e pela Av. Rui Barbosa. 

Por conta dos protestos da véspera, que terminaram com um ônibus queimado, nesta terça o policiamento no bairro foi reforçado e não houve confusão. Por determinação da PM, coletivos alteraram seus itinerários entre 17h e 18h, durante o ato de protesto.

“Espero que a morte do meu neto reflita de forma positiva para nossa comunidade. Hoje a dor é em estar enterrando aquele que era o meu melhor amigo. Dyogo era meu companheiro em todos os momentos. Ele sempre esteve ao meu lado por esses 16 anos. Era muito mais que um neto, era meu filho de coração. Apesar de toda essa dor, eu consigo arrumar forças para perdoar esses policiais que cometeram esse crime”, desabafou o avô, o motorista de ônibus Cristóvão Xavier, de 63 anos. 

O treinador do time de base do América, Antônio Carlos Brito, revelou o desejo do jovem de se tornar um jogador profissional.  

“Ele tinha todo o potencial para ser um grande jogador de futebol. Era um garoto empenhado e tinha isso como meta. Era esforçado em seu dia a dia dentro do clube. É um sentimento que fica, que não sabemos explicar. Nosso discurso é sempre para que esses garotos se esforcem para dar um futuro melhor aos familiares. Agora não sei nem o que dizer para esses meninos”, lamentou.  

Prisão - Na tarde desta terça, agentes da 78ª DP (Fonseca) prenderam, no Fonseca, Zona Norte, Guety do Viradouro. Ele é apontado pela polícia como número dois na hierarquia do tráfico da Grota e teria sido baleado durante a operação de segunda. Por conta disso, estava refugiado na casa da avó da namorada. (Colaboraram Isabelle Villas Boas e Vitor d’Ávila) 

Veja também: Família diz que mochila de adolescente morto sumiu

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top