Assine o fluminense

Denúncias aumentam 24% em Niterói

Melhora no desempenho se deu após a parceria entre a central de atendimento e a prefeitura em setembro de 2018

O maior número de ligações da população é com relação ao tráfico de drogas

Divulgação / PM

O número de denúncias anônimas relacionadas a Niterói no Disque-Denúncia subiu 24% após a parceria entre a central de atendimento e a prefeitura, celebrada em setembro do ano passado. Entre os meses de setembro de 2017 e janeiro de 2018, foram registradas 1274 denúncias contra 1580 no mesmo período de 2018 e 2019. Tenente-coronel Sylvio Guerra, comandante do 12º BPM, afirma que a participação da população niteroiense está ajudando no combate ao crime, mas colaboração pode melhorar. 

A média mensal de registros no período entre setembro/17 e janeiro/18 foi de 254,8, já entre setembro/18 e janeiro/19, a média foi de 316 denúncias/mês. Em ambos os períodos analisados, a maior reclamação é referente ao tráfico de drogas na cidade. Neste ano, foram 401 denúncias, mas no período de 2017/2018 foram 540, uma redução de 25%. 

Também houve mudanças nos assuntos denunciados. Enquanto no período de setembro de 2017 e janeiro de 2018 os assuntos mais registrados seguiam a ordem de violência contra a mulher (110), violência contra o idoso (39), barulho (39) e uso ilegal de serviços públicos – gato de luz – (37), no mesmo período de 2018/2019 foi de barulho (139), uso ilegal de serviços públicos (114), maus tratos contra animais (111) e violência contra a mulher (102).

De acordo com a central de atendimento, que desde o início do convênio com a prefeitura conta com uma estrutura exclusiva para a cidade, os bairros mais denunciados foram Fonseca, com 136 denúncias, Piratininga, com 128; Centro (124); Icaraí (120); e Itaipu (72). 

Segundo o tenente-coronel Sylvio Guerra, comandante do 12º BPM (Niterói), assim que assumiu, ele foi informado que a cidade recebia boas denúncias, mas que o número poderia ser ampliado. 

“Em todas as reuniões que tenho feito, digo da importância do Disque-Denúncia e peço à população que participe, pois os policiais não conseguem estar em todos os lugares, mas os moradores vivem aquela realidade. Saber o esconderijo de armas e drogas é importante para coibir o tráfico”, disse.

O comandante ressaltou que as denúncias enviadas são checadas pelos policiais, que conseguem apreender drogas, armas e suspeitos. Na última semana, pelo menos duas ocorrências com presos e drogas foram registradas através de denúncias. 

Coordenador-geral do Disque-Denúncia, Zeca Borges ressalta que as ligações são anônimas e que ajudam no trabalho da polícia. 

“É muito importante que a população participe ligando, pois a polícia pode muito mais com informações para atuar no combate ao crime. Criamos também um WhatsApp exclusivo para uso dos moradores de Niterói”, lembrou. 

Região – A região próxima a Niterói, São Gonçalo, concentrou o maior número de denúncias no mesmo período. Entre setembro de 2018 e janeiro de 2019, são 4972. Já Itaboraí e Maricá receberam, respectivamente, 708 e 531 denúncias.

 
Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top