Assine o fluminense

Flordelis depõe por várias horas

Novo advogado de filho de deputada nega que ele tenha confessado crime, como afirma a polícia

Deputada federal Flordelis chegou à sede da Delegacia de Homicídios de Niterói pouco depois do meio-dia para prestar depoimento

Marcelo feitosa

O advogado Anderson Rollemberg, que, com Mauricio Mair, se apresentou nesta segunda-feira (24) como advogado de Flávio dos Santos, de 38 anos, filho biológico da deputada federal Flordelis (PSD), negou que ele tenha confessado o assassinato do padrasto, o pastor Anderson do Carmo, como afirma a Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói. Segundo a especializada, Flávio teria confessado ter feito seis dos disparos contra o pastor, e cumpre prisão temporária de 30 dias pelo crime de homicídio, na carceragem da DH. 

“Nós vamos contestar a confissão do Flávio. Aquilo ali não é fidedigno e não retrata a realidade. Não existe confissão. Existe ela formalizada, mas o que tem que ser questionado é se isso é realidade”, comentou Rollemberg.

Nesta segunda, a DH ouviu 24 pessoas, entre filhos, funcionários, amigos, parentes, e a própria deputada federal Flordelis (PSD-RJ), cujo depoimento levou horas e não havia terminado até o fechamento desta edição. Os depoimentos tiveram início por volta de 8h, quando a delegada titular Barbara Lomba chegou à sede da especializada. 

Por volta de 12h30, Flordelis chegou à sede da especializada em um carro de luxo, acompanhada de um de seus filhos e de um amigo da família. Os depoimentos aconteceram ao longo de todo o dia, com as testemunhas chegando aos poucos à delegacia especializada. O pátio da DH foi fechado para os jornalistas em virtude dos depoimentos.

Advogado do filho biológico dela negou confissão do crime

Colaboração/Anderson Justino

A parlamentar manteve os vidros do carro fechados e não falou com a imprensa. De acordo com sua assessoria, Flordelis dará sua versão para o caso em entrevista coletiva nesta terça-feira (25), às 16h30, no auditório de um hotel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O novo advogado da deputada, Fabiano Migueis, já estava aguardando-a na delegacia. Ele conversou rapidamente com os jornalistas, mas informou não poder falar sobre o processo até que os depoimentos sejam concluídos. 

“Com término da colheita [dos depoimentos] a gente volta para dar uma coletiva de imprensa”.

Migueis assumiu a assessoria jurídica de Flordelis após a saída da advogada Luciene Diniz Suzuki, que, segundo a assessoria de imprensa da parlamentar, deixou o caso por não ter experiência na área criminal, mas segue acompanhando como amiga da família. Outra versão aponta que Suzuki tenha deixado o caso após o filho biológico ter confessado participação no crime.

Na última quarta-feira (19) e na quinta-feira (20), o advogado Marcelo Ramalho esteve na Delegacia de Homicídios, primeiro acompanhado da deputada, e depois sozinho. No entanto, a assessoria informou que ele estava apenas prestando apoio como amigo da família, não tendo assumido o caso de fato.

Ainda segundo a assessoria da deputada, outro escritório está trabalhando na defesa de Lucas dos Santos, de 18 anos, filho adotivo de Flordelis e Anderson, que também cumpre prisão temporária acusado de participação na morte de seu pai adotivo.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, Flordelis não poderá usar a prerrogativa de deputada federal por esta se tratar de uma situação que não diz respeito a seu mandato. Logo, qualquer possibilidade de uso do foro privilegiado ou de prestar depoimentos em Brasília está descartada.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top