Assine o fluminense

Guerra do tráfico no Caramujo pode estourar a qualquer hora

Segundo a polícia, traficantes da comunidade estariam se rebelando contra lideranças externas impostas pelo CV

Nesta quarta-feira a PM fez operação no Caramujo e prendeu dois suspeitos, um deles acusado de postar fotos de fuzis na internet

Fotos: Reprodução do Facebook

Policiais civis da 78ª DP (Fonseca) receberam informações de uma guerra pela sucessão do comando dos pontos de venda de drogas no Complexo do Caramujo está prestes a estourar, devido à prisão de Igor Cristiano Santos de Freitas, o “Revólver”. Apontado como chefe do tráfico local, “Revólver” foi preso na segunda-feira. Segundo investigações, ele não era bem-visto pelos moradores locais por não ser “cria” (nascido) do Caramujo e, por isso, não ter vínculos com a comunidade, onde implantava o terror e cobrava várias taxas de moradores, monopolizando, por exemplo, a distribuição de botijões de gás. 

Oriundo da comunidade Nova Brasília, no Complexo do Alemão, no Rio, “Revólver” foi uma liderança imposta pela cúpula da facção criminosa Comando Vermelho (CV), que trouxe de fora um substituto para o lugar de Rodrigo da Silva Rodrigues, o “Tineném”, preso no ano passado. Segundo a polícia, após a prisão de “Revólver”, dois traficantes ligados a ele, conhecidos como “Bolinho” e “Pocoiô”, já teriam sido mortos por aliados de Tineném. Os corpos não foram localizados pela Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, que investiga as informações.

Por meio das redes sociais, alguns moradores do Complexo do Caramujo comemoraram a prisão de “Revólver”. Em uma postagem, um homem diz que a comunidade está em festa. “Os moradores podem ficar tranquilos. Caramujo está na mão dos amigos e os amigos estão na mão de Deus”. 
“Quem manda agora no Complexo é o Tineném. Agora só falta a liberdade para ele e para os crias”, postou outro internauta.

Nesta quarta-feira (04) pela manhã, a Polícia Militar fez uma grande operação no Complexo do Caramujo para combater o tráfico de drogas. Por volta das 5h30, militares, com o apoio de um veículo blindado (Caveirão), cercaram todas as entradas do complexo. Os policiais foram recebidos a tiros e foram registrados confrontos em vários pontos. No entanto, a polícia informou que não houve feridos.

Dois suspeitos de tráfico foram presos em flagrante no Morro do Céu, Alef Lima de Melo, de 24 anos, e Matheus Jorge Santos, de 20. Quase 1 mil trouxinhas de maconha e quatro radiotransmissores foram apreendidos no local. Segundo a polícia, um dos presos teria postado em uma rede social várias fotos de fuzis calibre 7.62 que fariam parte do arsenal do tráfico no Caramujo. 

O caso foi registrado na 78ª DP (Fonseca), onde a mãe de um dos presos, que é aposentada, esteve para saber notícias do filho. 

“Ele já havia sido preso. Paguei advogado para ele, gastei quase toda a minha economia por conta disso. Ele saiu e me disse que não voltaria mais para esta vida. Ele estava trabalhando com um tio, fazia uns bicos também, e eu dava um dinheiro para ele sempre que sobrava. Essa semana ele voltou para o tráfico e acabou preso. Ele é meu filho, mas desta vez eu não irei ajudá-lo. Espero que ele aprenda”, desabafou a mulher, lembrando que o filho estava em liberdade condicional há 11 meses. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Buzin
Tambem as comunidades que fazem parte do complexo estão largada. Tenho ido na comunidade do rato molhado, dizem que a policia não vai lá a mais de seis meses. estaão esperando oque o trafico voltar pra ter troca de tiro, assim e dificil.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Scroll To Top