Assine o fluminense

Mortes em confrontos com a polícia crescem em Niterói

No entanto, importantes indicadores de crimes na cidade registram queda

Autos de resistência tiveram aumento de 550%, segundo último levantamento

Arquivo/Marcelo Feitosa

As mortes por intervenção de agente do Estado em Niterói tiveram aumento de 550%, com 13 casos no mês passado e apenas dois em fevereiro de 2018. Esse é o maior número de autos de resistência para o mês desde 2003, e o maior registrado desde agosto do ano passado, quando ocorreram 20 mortes. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (20) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). Os índices apontam, ainda, que os casos de letalidade violenta, que envolvem mortes, tiveram uma alta de 11,7%, passando de 17, em fevereiro de 2018, para 19, em fevereiro deste ano.

Outro indicador que apresentou aumento em fevereiro foi o de roubo a residência: foram sete registros feitos pela Polícia Civil no ano passado, enquanto neste ano esse número cresceu para nove, resultando numa alta de 28,5%.

Segundo o ISP, porém, boa parte dos indicadores de criminalidade caíram, como é o caso do homicídio doloso, que teve redução de 14 para 5 na comparação entre os dois anos, ou seja, - 64%. O instituto apontou, ainda, que o 12º BPM, responsável pelo patrulhamento de Niterói e Maricá, alcançou a terceira maior queda no Estado em homicídio doloso – de 22 para 10 casos nas duas cidades.

Assim como os casos de homicídio, outros importantes indicadores apresentaram queda. Uma das mais expressivas é a de roubo em coletivo: 79%. Foram 24 assaltos em fevereiro de 2018 e apenas cinco no mês passado.

Os comerciantes niteroienses também estão sentindo menos os efeitos da violência no município. Isso se reflete na redução de 47,7% no índice de roubo a comércio. Em fevereiro de 2018 foram 44 assaltos e, no mês passado, foram 23.

Na comparação entre fevereiro do ano passado e deste ano, os registros de estupro caíram 39%, caindo de 23 para 14.

Nos roubos de rua, mais uma queda: 16,3%, passando de 423 registros no ano passado para 354 neste ano. O ISP apontou que o 12º BPM alcançou a marca de segunda maior diminuição no índice no Estado.

O roubo de veículos caiu 14,6%, com 171 assaltos em fevereiro de 2018 e 146 neste ano.

O mesmo acontece com o roubo a pedestres, que passou de 339 para 291, ou seja, menos 14%.

Já o roubo de celular teve uma pequena redução de 3,3%, com dois casos a menos que em fevereiro do ano passado, quando foram registrados 60 roubos do tipo.

Os roubos de carga se mantiveram no mesmo patamar, com 18 casos nos meses de fevereiro do ano passado e deste ano. 

SG: lesão corporal em alta

Na cidade vizinha, o indicador que teve o aumento mais expressivo foi o de lesão corporal dolosa, com crescimentos de 26,3%. A polícia registrou 179 casos em fevereiro de 2018, que passaram para 226 neste ano.

Foram registrados 32 casos a mais de roubo a pedestre do que no ano passado, quando ocorreram 517 assaltos. Isso representa um aumento de 6,2%. Já o índice de roubo a coletivo teve um caso a mais, 72.

No somatório, o roubo de rua (que inclui roubo a transeunte, em coletivo e de celular) aumentou 2,2%, com 742 registros.

Os dados ainda mostram que os roubos de carga, que vêm afetando o setor industrial de São Gonçalo, cresceram 3,7%, com cinco casos a mais do que no ano passado, totalizando 140.

Na contramão, o roubo de veículos diminuiu 25% na comparação entre os meses de fevereiro. Foram 543 em 2018 e 407 no mês passado.

O índice de estupro teve redução de 14%, passando de 29 para 15 casos.

Já os roubos de celular tiveram 121 registros, 17 a menos que no ano passado, o que indica uma queda de 12,3%.

O mesmo acontece com os roubos a estabelecimentos comerciais, que caíram 11%, com 44 casos neste ano, contra 55 em 2018.

Ao contrário de Niterói, a letalidade violenta caiu 8% e as mortes por intervenção de agentes do Estado foram reduzidas em 3%. 

Estado: homicídios em queda

Pelo segundo mês seguido, o homicídio doloso e a letalidade violenta registraram queda no Estado. Em fevereiro de 2019, o indicador apresentou redução de 28% em relação a fevereiro do ano passado. Este foi o mês de fevereiro com o menor número de vítimas nos últimos 28 anos e também o menor número de vítimas desde agosto de 2015. Em relação a janeiro deste ano, a queda foi de 17%. Já no indicador letalidade violenta, a queda foi de 16% em relação a fevereiro do ano passado e de 15% quando comparamos com janeiro de 2019.

Os roubos seguidos de morte (latrocínio) também apresentaram queda expressiva em fevereiro: foram oito vítimas no mês em 2019 e 21 no mesmo período do ano passado. As mortes por intervenção de agente do Estado aumentaram 42% em relação a fevereiro de 2018. Quando comparamos com janeiro deste ano, a queda foi de 9%.

Os crimes contra o patrimônio como roubo de veículos e roubo de cargas também continuaram apresentando redução em fevereiro. Nos roubos de veículos, a queda foi de 26% no estado em relação a fevereiro de 2018 e, em relação a janeiro deste ano, a redução foi de 6%. Já os roubos de carga reduziram 13% em relação a fevereiro do ano passado e, quando comparados com o mês passado, a queda também foi de 13%. O roubo de rua se manteve estável no mês de fevereiro: aumento de 1% em relação a fevereiro de 2018. Porém, quando comparamos o indicador com janeiro deste ano, houve uma queda de 6%. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top