Assine o fluminense

Nem carga de água sanitária escapa de ladrões na BR-101

Bandidos alegaram ao motorista de caminhão que ‘movimento estava fraco’

Parte da carga foi recuperada e levada com caminhão para a 72ª DP

Marcelo Feitosa

O motorista de um caminhão foi feito refém por bandidos na manhã desta sexta-feira (12), no Bairro Antonina, em São Gonçalo. O veículo transportava garrafas de água sanitária e seguia de São Paulo (SP) para Serra (ES). O motorista foi abordado pelos bandidos na Rodovia BR-101, em Itaúna, local com constantes ocorrências de roubo de carga. Quatro assaltantes em um Chevrolet Onix preto, armados com pistolas e um simulacro de fuzil, ordenaram que o transportador desviasse a rota para uma comunidade.

De acordo com o motorista, ao chegar no local, havia perto de 20 criminosos armados com pistolas. Eles descarregaram parte da carga e distribuíram para moradores da região. O trabalhador ficou de 5h até 6h30 em poder da quadrilha. Ele relatou os momentos de pânico que passou.

“Colocaram o fuzil no meu rosto e me agrediram com coronhadas. Eu disse que a carga não era de valor, mas eles responderam que ‘o movimento estava fraco’ e que estavam esperando um caminhão passar para roubar. Meu maior medo foi de tomar um tiro de fuzil”, disse.

Os bandidos o liberaram com o caminhão e parte da carga. O motorista se deparou com uma viatura do 7º BPM e foi orientado a registrar o caso na 72ª DP (Mutuá). Um colega dele, que também é caminhoneiro e trafegava próximo no momento do crime, havia acionado a Polícia Militar pelo 190.

Enquanto a ocorrência era registrada, policiais militares entraram na comunidade atrás dos criminosos. Ao localizarem os bandidos, houve troca de tiros que terminou com um preso. Também foram apreendidos o simulacro de fuzil usado na abordagem ao caminhoneiro e um carro modelo Chevrolet Prista prata roubado. Grande parte da carga roubada foi recuperada.

O caminhoneiro, que é de Serra-ES, terá de voltar a São Paulo para fazer a recontagem da carga. O homem também teve seu aparelho celular quebrado durante o assalto. O caso é investigado pela 72ª DP. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top