Assine o fluminense

PM abre caminho nas favelas

Batalhão de São Gonçalo informou que já retirou mais de 50 barricadas das ruas desde o início do ano

Nesta semana, traficantes do Salgueiro montaram barricada com botijões de gás

Foto enviada via WhatsApp O Flu

O 7º BPM (São Gonçalo) já retirou barricadas de mais de 50 ruas de comunidades desde o início do ano. Bairros como Salgueiro, Jardim catarina, Santa Luzia, Morro do Martins, Morro do Castro e Anaia são aqueles onde a população mais sofre com a colocação de bloqueios pelos criminosos.  

O comandante do Batalhão de São Gonçalo, coronel Ruy França, vai pedir apoio da Prefeitura de São Gonçalo para tentar acelerar o serviço nas comunidades. Segundo ele, esses obstáculos são montados para impedir o acesso da polícia. Ele quer o empréstimo de uma máquina retroescavadeira e de um caminhão para fazer a retirada dos bloqueios, espalhados em favelas por vários bairros do município. Atualmente a PM conta apenas com um único equipamento que pertence ao Batalhão de Operações Especiais (Bope) e que atende a todo o Estado.

“É importante a parceria com Poder Público, pois desta forma poderemos fazer uma programação dentro dessas comunidades para que tenhamos uma ação mais efetiva e duradoura. Geralmente em dois ou três dias depois que fazemos a retirada, os traficantes recolocam o entulho. Com esses equipamentos vamos poder atuar de maneira mais forte nesse tipo de ocorrência”, declarou. 

Esta semana, o comandante do Batalhão de São Gonçalo recebeu a informação de que traficantes do Salgueiro haviam colocado barricadas com botijões de gás para tentar impedir a ação dos policiais na região. Não só nessa comunidade, como em outras de São Gonçalo, a colocação de barricadas vem tirando a paz dos moradores, que também ficam sem poder circular com seus veículos. Além disso, os bloqueios restringem o acesso de serviços e de socorro, em caso de emergência.  

De acordo com Ruy França, as barricadas do Salgueiro, apesar de desafiarem a polícia, demonstram que os bandidos estão se sentindo incomodados por ela. 

“Anteriormente já havia uma ação semelhante por lá, em que os traficantes colocaram o chamado ‘jacaré’ para prejudicar a ação das nossas viaturas no local. O que diferenciou agora foi a colocação dos botijões de gás. Certamente as ações que temos feito têm incomodado os marginais. Como na última operação realizada por lá e que resultou na morte de um dos líderes do Salgueiro. Desta forma eles estão criando algumas estratégias para dificultar a ação da polícia. Diante disso, vamos reorganizar nossas ações, orientar nossas equipes para que quando se depararem com essa situação já saibam o que deve ser feito. Por isso, vamos buscar novas estratégias de entrada nessa região”, declarou.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top