Assine o fluminense

PM caça bandidos que mataram capitão durante assalto no Rio

Oficial foi reconhecido como policial, tentou fugir, mas acabou sendo fuzilado

A PM informou que não tem hora para terminar a operação contra o crime organizado na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, deflagrada nesta quinta-feira (3) para procurar os assassinos do capitão da PM Stefan Contreiras, 36 anos. A secretaria municipal de Saúde informou que seis criminosos morreram e três ficaram feridos em confronto com as forças de segurança do estado.

O oficial seguia em sua moto para o quartel, em Jacarepaguá, quando foi abordado por dois criminosos armados, também de moto. O capitão após ser revistado tentou fugir e morreu no local com vários trios. Em seguida, os criminosos fugiram. O crime aconteceu no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá. Apesar da ação policial, a Linha Amarela está liberada nos dois sentidos há mais de duas horas.

O serviço de inteligência da corporação informou que os criminosos seriam da Cidade de Deus e teriam fugido para a comunidade. Unidades do Comando de Operações Especiais, além do 18º batalhão (Jacarepaguá) e da Unidade de Polícia Pacificadora Cidade de Deus foram deslocados para a comunidade. O capitão Contreiras era do serviço reservado da unidade militar de Jacarepaguá. O Grupamento Aeromóvel realizou o monitoramento aéreo da região dando suporte às equipes que fazem a varredura por terra.

Até o fechamento desta edição foram apreendidos dois fuzis e quatro pistolas automáticas.  Durante a operação um policial do Bope foi ferido na perna e encaminhado para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, com quadro de saúde estável. O Portal dos Procurados do Disque-Denúncia está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil para quem der informações que levem à prisão dos envolvidos na morte do capitão.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top