Assine o fluminense

Policiais investigam desaparecimentos

A Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói está investigando dois casos de desaparecimentos em São Gonçalo

A Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói está investigando dois casos de desaparecimentos em São Gonçalo. Um deles é do pescador Anderson dos Santos Borges, visto pela última vez no domingo (7). Por volta de 14h, ele saiu de seu trabalho em um cais na Ilha da Conceição, em Niterói, e foi até sua casa, no Jardim Bom Retiro, em São Gonçalo. Em sua residência, ele comunicou à sua esposa, Eliana Santos, que iria assistir à final da Copa América entre Brasil e Peru com amigos em um bar no Centro de Niterói.

“Ele sempre saiu pra beber e se divertir, mas sempre voltava para casa. Ele nunca teve problema com álcool ou drogas”, afirmou a esposa.

O desaparecimento foi notado quando na segunda-feira (8), por volta de 6h, o patrão de Anderson telefonou para a casa da família e informou à esposa que seu funcionário não havia aparecido para trabalhar, conforme estava previsto.

O outro caso aconteceu na manhã do último dia 28 de junho, quando o jovem Charly Danilo Ribeiro da Conceição, de 19 anos, conhecido como “Dedo” por ter o indicador da mão direita amputado, sumiu quando voltava da casa de sua namorada, no Anaia, para Alcântara, onde mora com a mãe, que é faxineira, e as irmãs. Seu último contato foi por volta de 11h daquele dia, quando avisou à família que estava retornando.

Ele é meu bebê, meu príncipe. Eu só quero ele de volta. Não sei como vou conseguir viver sem ele”, disse a mãe, Ana Célia.

Quem tiver visto algum dos desaparecidos ou tiver informações que levem às suas localizações, deve entrar em contato com o Disque-Denúncia pelo número (21) 2253-1177. O anonimato é garantido. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top