Assine o fluminense

Sequestro relâmpago na porta de escola particular em Itaipu

Mãe, que chegava para pegar filho de 1 ano e 5 meses, foi levada por dupla armada

Mulher foi surpreendida pela dupla armada de pistolas e foi levada no próprio carro

Reprodução de vídeo

Câmeras de segurança de uma escola particular na Região Oceânica de Niterói flagraram o momento em que uma mulher, que chegava para buscar o filho na escola, é sequestrada por dois bandidos, um deles armado de pistola. Ela ia buscar o filho de um ano e cinco meses no colégio, quando foi abordada. De acordo com a família, ela foi levada de Itaipu até o bairro Marambaia, em SG, onde teve os pertences levados e depois liberada pelos criminosos.

A vítima dirigiu de volta até o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Maria Paula, e avisou a polícia, que fez contato com a família. Caso será investigado pela 81ª DP (Itaipu).

As imagens mostram a mulher saindo do carro, uma BMW modelo X3 na cor branca, e logo em seguida sendo abordada pelos criminosos. O crime aconteceu em plena luz do dia, por volta das 11h51, na Rua Nicarágua. Pelas imagens, é possível ver um dos bandidos arrancando a chave da mão da vítima, enquanto o comparsa abre as portas do veículo.

A mulher então é jogada no banco de trás. Um criminoso assume a direção e o outro entra no banco do carona. Eles saem do local em alta velocidade. 

O marido da vítima, que preferiu não se identificar, contou que logo assim que foi avisado do ocorrido, ficou muito nervoso porque não sabia o que poderia ter acontecido com sua esposa.

“Eu fui até o DPO, apreensivo, sem saber se tinham ou não feito alguma maldade com ela. Graças a Deus não, mas só o trauma que ela sofreu eu não consigo imaginar. Quando eu a encontrei, foi uma sensação de alívio. O que me deixou muito preocupado é que em todo o percurso que eles fizeram não passou nenhuma viatura da polícia. Eles dirigiram tranquilamente até o local onde ela foi liberada”, explicou.

Ainda segundo o esposo, a família havia se mudado na última sexta-feira para a Região Oceânica depois de uma temporada de três anos a trabalho em São Paulo. 

“Estamos todos assustados. Não consigo imaginar como seria se o nosso filho estivesse com ela. Ela está traumatizada e eu também. Além de ter uma arma apontada para cabeça, a obrigaram a dar o cartão do banco com a senha. No caminho, ainda pararam em uma farmácia para comprar alguma coisa, no intuito de confirmar se a senha estava ou não correta”, afirmou, sem saber se saques foram realizados da conta da esposa. 

O esposo da mulher disse ainda que pretende vender o carro e se mudar do local. 

“Ela me contou que no caminho eles pegaram o celular dela e vasculharam tudo: contatos, redes sociais. Ou seja, sabem tudo da nossa família. Queremos uma resposta da polícia, espero que eles consigam identificar e prender esses bandidos. Vou vender o carro, porque não temos direito a ter um bem. O que posso dizer é que não me sinto seguro em Niterói, e que não dá para viver aqui”, desabafou. 

O comandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Sylvio Guerra, disse que a PM está atenta às ocorrências no local, e que o policiamento segue normal. “Nosso policiamento segue ostensivo, e infelizmente esse é um tipo de crime de oportunidade. Nosso serviço de inteligência está buscando informações para passar à Polícia Civil”, explicou. 

A Polícia Civil informou que já está com as imagens do crime. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

adriana bruno
Perdi minha tia na região, em um assalto na porta de casa, foi assassinada na frente do filho e da neta. E a coisa só piora. Estamos em completo abandono. Diariamente, dezenas de vezes acontece e nada é feito.
Vote up!
Vote down!

: 0

You voted ‘up’

Veja também

Scroll To Top