NITERÓI/RJ
Min:   Max:

Alberto Brizola assume a coluna Informe

Com larga experiência em comunicação e na política, Brizola quer coluna dinâmica

Divulgação

A coluna onde o leitor tem voz e vez. A partir deste domingo, a Informe, de O FLUMINENSE, passa a ser assinada pelo radialista e ex-deputado estadual Alberto Brizola. Em página totalmente remodelada, feita sob medida para “Briza”, como é carinhosamente conhecido pelas fãs de rádio, o comunicador se declara pronto para encarar o desafio em um jornal de tanta tradição.

“Para mim é um novo desafio estar participando desta coluna de um jornal tão importante e histórico que publicou, por exemplo, a Lei Áurea. Hoje, eu que venho do rádio, que já fiz jornal, que gosto da comunicação, sinto orgulho de ser o mais novo integrante de O FLUMINENSE”, declarou Brizola. 

Trajetória - Alberto Ely Brizola da Silva deu início a sua carreira como comunicador aos 13 anos, quando, em Cuiabá, começou a trabalhar na rádio A Voz do Oeste. Ao mudar-se para Porto Alegre, onde cursou Comunicação, estagiou na Princesa FM, onde redigia e apresentava um jornal de uma hora de duração, diariamente. 

Foi no Rio de Janeiro, no entanto, que sua voz ficou conhecida nacionalmente. Ao mudar-se para a Cidade Maravilhosa, morando na Ilha do Governador, o radialista fez, na Rádio Mundial, a sua estreia em uma rádio fluminense. Anos depois, na Rádio Globo, Brizola apresentou o jornal O Globo no Ar.

Brizola também registra passagens pela Rádio Manchete, 98 FM, 93 FM, Rádio Roquette-Pinto, Rádio Continental, Rádio Sucesso, entre outras. Ainda em atividade em meios radiofônicos, ele pode ser ouvido na Litoral FM 94,5, de segunda a sexta, das 22h à 1h. Também foi diretor artístico das rádios 93 FM e Sucesso. Se formou em Relações Internacionais em 2004.

Ele inovou, no rádio, ao sagrar-se como o primeiro a fazer traduções de músicas, a criar um debate político em FM e apresentar um programa romântico, também na frequência modulada. 

Já na televisão, Brizola apresentou o programa Caravana do Amor, na Rede Bandeirantes, e foi jurado do programa Cassino do Chacrinha, na Rede Globo.

Política - Na vida política, ocupou uma cadeira na Alerj durante quatro mandatos. Em sua atuação como parlamentar, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi membro honorário do grupo “Tortura Nunca Mais”, que surgiu como um instrumento de luta dos familiares dos mortos, desaparecidos e torturados políticos durante o período da ditadura militar brasileira.

Canal direto com os leitores 

Segundo Brizola, os leitores de O FLUMINENSE poderão contar com um canal direto para fazer suas reivindicações, darem suas opiniões e, de fato, produzirem a coluna junto com o repórter, atuando como verdadeiros olhos fiscalizadores por onde quer que passem.

“Eu sempre acreditei na interação entre o público e o órgão de comunicação. Acho que o jornal já não é, há muito tempo, uma coisa estática. Hoje, com a convergência de mídias, estamos todos juntos, através da imagem, da comunicação, da informação. É importante que as pessoas participem deste processo. Aliás, é fundamental”, disse. 

Justamente para promover a participação, Brizola afirma que, a partir da próxima semana, os leitores poderão, por meio de e-mail ou Whatsapp, ter voz ativa, de fato, em sua coluna. Segundo ele, esta é uma medida comprovadamente de sucesso na rádio, que irá ganhar as páginas do jornal.

“Vamos promover pesquisas na coluna, onde pretendemos fazer com que as pessoas participem e contribuam com suas opiniões. Nos meus programas de rádio, sempre procurei colocar a opinião do ouvinte. O público é fundamental porque ele assiste de perto todos os problemas que a sociedade vive. O caos que a grande população vive, as crises que os  governos acabam gerando. É importante que as pessoas digam aquilo que elas estão sentindo. Este é o papel fundamental da imprensa: ouvir o outro lado da história”, afirmou. 


Scroll To Top