Assine o fluminense

Comte vai permanecer como deputado na Alerj

Decreto legislativo aprovado essa semana recebe apoio de políticos e empresários

 

Foto: Marcelo Feitosa

Foi aprovado essa semana, na Câmara de Vereadores de Niterói, um decreto legislativo que autoriza o vice-prefeito eleito de Niterói, deputado estadual Comte Bittencourt (PPS), a assumir o cargo até dezembro de 2017. Na votação, foram 15 votos favoráveis e três abstenções. 

Para o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), a decisão de ficar na Alerj será uma legítima. 

“Este não é um momento qualquer. O nosso Estado está passando por um dos piores momentos. Comte sabe que a sua permanência na Alerj pode contribuir muito para Niterói”, afirmou Freixo. 

O também deputado estadual Luiz Paulo (PSDB) disse que Comte, com sua vasta experiência, pode ajudar não só Niterói, mas todo o Estado. 

“Ele tem feito um excelente trabalho na Comissão de Educação na Alerj. Então, acho muito positivo que ele continue na casa. Acredito que, desta forma, a população de todo o Estado vai ser beneficiada com toda a experiência dele”, destacou. 

Joaquim Pinto, da Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL), também defende a permanência de Comte na Alerj. 
“Por conta da grande crise que afeta o nosso Estado, acredito ser de extrema importância que o deputado Comte continue o seu mandato. Nesse momento, ter um representante de Niterói na Alerj é de extrema importância. Isso mostra o cuidado que tanto o Comte quanto o prefeito têm com Niterói”, afirmou. 

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro/Leste, Luiz Césio Caetano, disse que, por conta deste difícil momento que o Estado passa, é válido ter um representante de Niterói na Alerj. 

“Termos alguém na Alerj com toda experiência do Comte é primordial. Ele é um deputado de peso e com certeza vai contribuir muito pelo Leste Fluminense. Niterói deve se orgulhar em poder ter um nome na câmara dos deputados”, disse. 

Ao comentar a aprovação do decreto legislativo, Comte Bittencourt (PPS) reafirmou que não existe a possibilidade de não assumir a vice-prefeitura e nem de renúncia do mandato.
“Vou continuar conversando com a sociedade, com o prefeito e com diversas entidades. Fui procurado pelo vereador Bruno Lessa e também por outros parlamentares sobre essa questão. O que a Câmara fez foi enquadrar o que está previsto na Lei Orgânica. Sendo assim, já fui diplomado e, diante do cenário atual do Estado, vamos continuar avaliando o que vamos fazer a partir de janeiro”, defendeu.

O vereador Bruno Lessa (PSDB), autor do decreto, lembrou que o projeto foi assinado por 18 vereadores que entenderam que, nesse momento de crise no Estado do Rio de Janeiro, que está, inclusive, com estado de calamidade pública decretado, Comte soma mais para a cidade como deputado estadual do que como vice-prefeito. 

“Devido à experiência que ele tem como deputado, é melhor que fique na Alerj. Ele não vai deixar de ser vice-prefeito, mas pode assumir até dezembro de 2017. Esse é o momento de deixarmos as questões políticas de lado e dar prioridade para a nossa cidade”, justificou. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top