Assine o fluminense

Deputado defende ‘nova política’

Em primeiro mandato na Câmara Federal, Otoni de Paula destaca a importância do papel de fiscal das leis

O deputado federal Otoni de Paula tem projetos para frear a violência

Divulgação

Representante do Rio de Janeiro no Congresso Nacional, o deputado federal Otoni de Paula (PSC) defende em Projeto de Lei apresentado na Câmara dos Deputados, que condenados por violência doméstica ou familiar contra mulher, idoso e criança não possam ser nomeados em cargos comissionados na esfera federal.

O Projeto de Lei 2282/2019, apresentado em abril pelo deputado, tramita na Câmara em regime de prioridade e aguarda a apreciação das comissões responsáveis para entrar na pauta dos parlamentares. Segundo o deputado, o PL visa frear e desestimular os agressores a praticarem a violência “que está crescendo em ritmo alarmante”.

“Tenho me caracterizado nesses anos da política partidária como um político de opinião. Apesar de estarmos cumprindo o papel de legislar, acredito que o mais importante é o aspecto fiscalizador. Neste momento, não é de novas leis que o País está precisando, mas que se cumpram as leis e que elas estejam sempre acima de qualquer pessoa. Uma proteção para os que fazem o bem e uma punição para os que praticam má conduta, principalmente, com aquilo que é público”, ressalta.

Vice-líder do Partido Social Cristão (PSC) na Câmara dos Deputados, Otoni de Paula está em seu primeiro mandato de deputado federal. Eleito com 120.498 votos com a bandeira da ética, o parlamentar assumiu como titular na Comissão de Educação e como suplente na Comissão de Seguridade Social e Família, além de participar de comissões especiais como a da Previdência Social e a do Fundeb. Até o ano passado, o parlamentar foi vereador do Rio de Janeiro. 

Sala de aula – Otoni de Paula apresentou também um projeto de lei que visa garantir que alunos de todos os níveis de educação no Brasil tenham o direito de gravar em áudio e vídeo as aulas que assistem e estejam matriculados.

“Defendo a proposta por acreditar no benefício dela para os alunos, à medida que poderão revisar as aulas a qualquer momento, receber dos colegas o conteúdo quando precisar faltar à aula presencial, por motivo de doença, por exemplo; e, ainda, para que os pais possam acompanhar a educação dos filhos”, ressaltou.

O deputado federal ressalta que o objetivo não é patrulhar ‘a liberdade do docente’, que tem poder sob o material ensinado em sala, mas reforçar o aprendizado do aluno e o conhecimento dos pais.

Nova Política – Em seu primeiro mandato como deputado federal, Otoni de Paula defende que o Brasil precisa da “nova política”, que em sua visão, já estaria em voga no país. Ainda para o parlamentar, é preciso que o político brasileiro entenda o que a população busca e estar sintonizado com o atual cenário do país. 

“É um período em que o congresso se debruça sobre temas importantes para reorganizarmos o Brasil. Acredito que não viveremos mais aquela velha política, feita com as barganhas, independentemente se o projeto beneficiaria ou prejudicaria o país”, disse, completando que os políticos não se comportavam como servidores da população.

Para o parlamentar, a “nova política” se caracteriza por políticos que têm a compreensão do cenário brasileiro, que estão em sintonia com as necessidades da população e que não estão acima de críticas. “São características de políticos mais próximos dos eleitores, que não só aparecem durante as eleições. Vivemos um momento muito importante para o país, onde o congresso será fundamental para os avanços da nação”, finalizou. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top