Você faz a notícia

Estado e prefeitura do Rio estudam expansão do metrô

Pezão e Crivella se reúnem para discutir proposta de Operação Urbana Consorciada

Governador Luiz Fernando Pezão recebe o Prefeito do Rio, Marcelo Crivella, no Palácio Guanabara

Foto: Shana Reis/Palácio Guanabara

O governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, se reuniram nesta quinta-feira (5), no Palácio Guanabara, para discutir a proposta de Operação Urbana Consorciada, elaborada pelo urbanista Sérgio Dias, com alternativas que vão gerar receitas adicionais para promover melhorias na cidade, entre elas a expansão do metrô e a transformação de áreas degradadas com a criação de parques urbanos.

Dias fez uma apresentação sobre o tema para os participantes da reunião, entre eles a presidente da RioTrilhos, Tatiana Carius, o subsecretário de Estado de Transportes, Oswaldo Dreux, e o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell.

A Operação Urbana Consorciada prevê um melhor aproveitamento do potencial imobiliário das regiões da cidade, em parceria com a iniciativa privada, com a geração de certificados de potencial adicional de construção, a exemplo da operação urbana no Porto do Rio.

O programa abrange diversas áreas da cidade, entre elas o centro, com a Avenida Presidente Vargas, a zona norte, com o Méier, a zona oeste, com Barra da Tijuca e Jacarepaguá, sem causar nenhuma agressão urbanística.

Parceria - De acordo com Tatiana Carius, a proposta do governador é fazer isso a quatro mãos, em parceria com a prefeitura, para gerar receitas adicionais, com benefícios para a cidade, entre eles a expansão do metrô. “O investimento em infraestrutura metroviária é muito alto e não se paga somente com um ente federativo. Então, estamos agora inovando. Realmente, vai ser a primeira vez que isso poderá ser feito, aqui no Rio, para expandir o sistema metroviário”, disse.

Para o vice-prefeito Mac Dowell, parcerias são importantes para a implantação de melhorias visando à mobilidade urbana.

“Nós vamos buscar soluções alternativas, que possam gerar receitas adicionais. Não se pode ficar o dia inteiro pensando, olhando para o espelho sem fazer nada. É um projeto que faz uso do solo de maneira inteligente e que vai gerar recursos necessários tanto para o município quanto para o estado. Vamos buscar parceria com o Banco Mundial, precisamos mudar essa maneira de estar todo mundo de cabeça baixa”.

A prefeitura do Rio vai criar um grupo de trabalho, com a participação de representantes do governo do estado, para estudar a forma de implantação da Operação Urbana Consorciada, objetivando a expansão do transporte de alta capacidade e a melhoria da qualidade de vida da população.

Salário de novembro: sai hoje 2ª parcela

O governo do Rio de Janeiro anunciou, nesta quinta-feira, que depositará hoje a segunda parcela de pagamento para os servidores que não receberam os vencimentos de novembro. O valor da parcela será de R$ 1 mil.

De acordo com nota divulgada pelo governo, “com o pagamento desta segunda parcela, a folha salarial estará inteiramente quitada para 76% da folha líquida de R$ 2,1 bilhões e para 67% do funcionalismo público”.

O depósito ocorreu em virtude do aumento da arrecadação tributária prevista para o período. 

Outro fator que aliviou os cofres estaduais foi a decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmem Lúcia, de impedir novos arrestos nas contas estaduais, para pagar dívidas com o governo federal.

Antes do anúncio do depósito, servidores fizeram um grande protesto em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo, exigindo o pagamento de salários.

Manifestação - O protesto se concentrou no Largo do Machado, na zona sul do Rio e seguiu em caminhada em direção ao Palácio das Laranjeiras, sede do governo estadual.

Os manifestantes carregam cartazes com pedidos de “SOS” e “pagamento já”, bandeiras de centrais de trabalhadores e enfrentam sol forte e calor intenso.

Parte dos servidores está sem receber desde novembro e também não ganhou o décimo terceiro. Segundo a Secretaria de Fazenda, uma parcela de R$ 314 foi paga ao longo do desta quinta a ativos, inativos e pensionistas. Outras parcelas estão previstas para quitar a folha de pagamento até o dia 17 de janeiro.

PMs do 2º BPM (Botafogo) e do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) acompanham o deslocamento do ato e monitoram a situação no local. A PM informou que não divulga mais estimativa de participantes. Ao chegar em frente ao palácio do governo do estado, os servidores fecharam as duas pistas da Avenida Pinheiro Machado.

O governo do estado dividiu o pagamento de novembro em cinco parcelas que serão pagas ao longo do mês de janeiro. Após a que está prevista para hoje, a próxima parcela deve cair na conta dos servidores na segunda-feira.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top