Assine o fluminense
 MPRJ denuncia políticos em Itaboraí

O MPRJ obteve, nesta semana, o afastamento do vereador Deoclécio Machado Viana (DEM), ex-presidente da Câmara Municipal de Itaboraí, e de Paulo Cesar de Lima Ferreira, diretor da Câmara, por, segundo denuncia prestada, desviarem mais de R$ 11 milhões de dinheiro público. Segundo o MPRJ, em conluio com o empresário Simão Miguel Neto, o grupo autorizou pagamentos de despesas com publicações falsamente atestadas e fiscalizadas de forma irregular, também contribuindo para a fabricação de demanda inexistente de publicação de atos oficiais. 

Acessibilidade nas estações 

O vereador niteroiense Bruno Lessa (PSDB) vai cobrar da prefeitura mais acessibilidade nas estações da TransOceânica. Segundo o parlamentar, apesar de terem custado cerca de R$ 1 milhão cada, elas pecam na acessibilidade para, por exemplo, deficientes visuais.

FGV abre suas portas 

Com o objetivo de aproximar os estudantes do ambiente universitário, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) abre as suas portas durante o “Dia FGV”. Trata-se de uma série de encontros gratuitos nos quais alunos e responsáveis poderão visitar os campi da instituição.  

Rio passa a ter dois santos padroeiros

O plenário da Alerj aprovou, na última quinta, um projeto de lei, de autoria dos deputados Gustavo Schmidt (PSL) e André Ceciliano (PT), que proclama São Jorge e São Sebastião como padroeiros do Estado do Rio. O texto segue para a sanção de Wilson Witzel (PSC), governador do Rio que, segundo Schmidt, já teria se comprometido em sancionar a matéria na íntegra. Originalmente, a homenagem referia-se apenas a São Jorge, mas uma emenda do deputado Luiz Paulo (PSDB) incluiu São Sebastião como padroeiro. O texto também prevê honras de Estado prestadas aos dois padroeiros. 

 

 

‘Muito querido e respeitado’ 

Para o deputado estadual niteroiense Gustavo Schmidt (PSL), autor do PL, “São Jorge é um santo muito querido e respeitado pela população fluminense, não apenas pelos católicos, mas por adeptos de outras religiões, merecendo, inclusive, um feriado em sua homenagem. Pelo que me consta, o Estado do Rio não tinha um padroeiro. Portanto, é natural oficializarmos essa homenagem”. São Jorge é reverenciado por favorecer a todos que a ele recorrem durante batalhas ou questões complicadas. Dada a crise estadual, toda ajuda é bem-vinda.

Curtas

A organização Repórteres Sem Fronteiras divulgou ontem a nova edição do seu ranking de liberdade de imprensa e a situação do Brasil piorou. No atual levantamento, o país ocupa a 105ª posição, três abaixo da que estava em 2018. Entre os motivos para a queda está a tensão política registrada na última campanha eleitoral, no ano passado.

O tema da edição 2019 do fórum promovido pela Revista e Portal Imprensa aponta um 

panorama vigente de radicalismos, e coloca a liberdade de imprensa como um desafio fundamental neste cenário de polaridades. 

A Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre) repudia as iniciativas em curso no Congresso visando dar um salvo-conduto aos lixões, que permitirá que prefeitos não respeitem os prazos da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determina a extinção dos lixões.


 Ferrovias voltam à pauta 

Responsável pelo transporte de 75% da produção brasileira, segundo a pesquisa Custos Logísticos no Brasil, da Fundação Dom Cabral, o modal rodoviário mostra deficiências justamente por ser sobrecarregado. Os danos de uma paralisação no setor, segundo o presidente da Frente nacional pela volta das ferrovias (Ferrofrente), José Manoel Ferreira Gonçalves, seriam minimizados caso o sistema ferroviário nacional não fosse prejudicado por “concessões mal feitas”. 


CNT se posiciona sobre nova crise

Justamente no momento de novos debates sobre modais de transporte, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) divulgou, nesta semana, uma nota sob o título “Como baixar a pressão no transporte de cargas”. Para a entidade, “a Petrobras não precisa abrir mão da política de paridade de preços internacionais para conciliar os interesses de seus acionistas com as demandas dos clientes e do mercado em geral. [...] Mais grave do que aumento de preço é a falta de estabilidade e de previsibilidade no custo do combustível”, como diz trecho da nota emitida pela CNT. 

 

Mais notícias de
Informe

Scroll To Top