Assine o fluminense

Investigação sobre milhões em apê já foi enviada ao STF

Caso era analisado pela Justiça Federal em Brasília

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara de Brasília, decidiu nesta quarta-feira (13) remeter ao Supremo Tribunal Federal (STF) a investigação sobre o montante de R$ 51 milhões apreendidos pela Polícia Federal (PF) em um apartamento em Salvador, atribuído ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. Em sua decisão, o magistrado argumentou que há sinais de provas do envolvimento do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB/BA), irmão de Geddel, e que podem levar ao indiciamento do parlamentar pelo crime de lavagem de dinheiro.

De acordo com o magistrado, embora não existam indícios de participação do deputado “nos fatos anteriores à apreensão dos valores, até agora somente vinculados às pessoas de Geddel Vieira e Gustavo Pedreira, o certo é que a partir de agora, diante da existência de sinais de provas capazes de levá-lo a eventual indiciamento no delito de lavagem de dinheiro, delito este que até o que se sabe possui relação com o anterior (fraudes na Caixa Econômica Federal – Operação “Cui Bono)”.

Até então o caso era analisado pela Justiça Federal em Brasília. 

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top