Assine o fluminense

Itaboraí: ano para arrumar a casa

Para o prefeito Sadinoel Souza, 2017 será apenas para pagar as dívidas. Só em 2018 será possível investir na cidade

Sadinoel Souza calcula que as dívidas giram em torno de R$ 400 milhões

Foto: Lucas Benevides

Com quase dois meses de governo, o novo prefeito de Itaboraí, Dr. Sadinoel Souza (PMB), fez um balanço sobre seu início de gestão, além de comentar sobre a situação econômica do município e seus principais desafios para seus quatro anos de mandato. Com dívidas que giram em torno de R$ 400 milhões, ele afirma que o ano de 2017 será destinado à quitação destas, e que já está negociando com os fornecedores.

“Estamos negociando todas as nossas dívidas. Temos um orçamento anual de cerca de R$ 350 milhões, enquanto nossa dívida total ultrapassa esse valor em R$ 50 milhões. Neste primeiro ano de governo, vamos iniciar o pagamento regular de todas essas dívidas, para que, em 2018, possamos movimentar a cidade”, declarou.

Apenas para a distribuidora de energia elétrica, Enel, o governo deve quase R$ 3 milhões. Com a “Verde Ambiental”, responsável pela limpeza urbana municipal, Sadinoel calcula um passivo de quase R$ 1,5 milhão. Já com os terceirizados da educação, a dívida municipal beira R$ 1 milhão, valor referente a três meses de salários atrasados.

Além dos problemas nas contas públicas, o município também sofre com problemas em áreas como infraestrutura e saneamento básico, que, segundo o prefeito, precisam ser resolvidos com urgência.

“Estamos realizando um planejamento para trazer a iniciativa privada para Itaboraí, ainda este ano, pois precisamos melhorar a pavimentação das ruas, iluminação pública, distribuição de água e tratamento de esgoto. Através de Parcerias Público-Privadas (PPPs), vamos resolver esses problemas e tentar aumentar o percentual da população com água encanada, já que, atualmente, este índice não passa de 20%”.

Sobre o atraso no pagamento dos servidores do município, Sadinoel afirmou que os salários de janeiro e 13º salário já foram pagos, enquanto o de dezembro será pago de forma parcelada: a primeira metade no próximo dia 15 e a segunda em 15 de março.

Transporte – Outro ponto polêmico da nova administração foi o reajuste nas passagens de ônibus. Sadinoel explica que o aumento deste ano foi decretado, no ano passado, pelo ex-prefeito Helil Cardoso (PMDB). As tarifas dos ônibus municipais subiram de R$ 3,40 para R$ 3,75.

“No final deste ano, quando estiver sendo discutido o reajuste da passagem, vou me reunir com as empresas de ônibus. A intenção é costurar um acordo para que o custo das gratuidades seja incorporado ao valor da passagem, sem nenhum subsídio a mais por parte do Executivo”, explicou o prefeito.

Sadinoel também anunciou que a primeira inauguração de seu governo será na área da Educação, além de manifestar o desejo pela volta dos Jogos Escolares no município.

“No dia 6 de março, no início do ano letivo, vamos inaugurar a Escola Municipal Mororó, no bairro de Vila Brasil. Não sei se, ainda em 2017, conseguimos implementar a volta dos Jogos Escolares de Itaboraí. Acho que essa competição agrega muito na integração entre os estudantes da cidade”.

Na área da Saúde, o prefeito afirmou que está negociando a redução do contrato com a Organização Social “Ibas”, que administra o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior.
“Queremos adequar o contrato, reduzindo o gasto de R$ 2,8 milhões para R$ 2 milhões. Com esta diferença, vamos investir na saúde primária municipal”, disse. 

Comperj: a grande aposta do município

A partir de 2008, com o início das obras na Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), o município de Itaboraí passou por um boom econômico, em um momento em que diversas empresas decidiram investir na construção de empreendimentos pela cidade, principalmente no Centro.

Porém, após a paralisação das obras da estatal, diversos novos hotéis e edifícios comerciais sofreram com a falta de retorno dos investimentos. Atualmente, devido à falta de interesse das empresas, esses imóveis se encontram vazios.

“Devido à grande capacidade de contratação e à necessidade de espaço que essas empresas precisam, estou entrando em contato com companhias de telefonia para que ocupem esse espaço e sejam parceiros de Itaboraí. Uma das alternativas seria a criação de call centers na cidade, por exemplo”, disse.

De acordo com ele, o retorno da estatal no município fará disparar a arrecadação de ISS no município em 2018.

“Só de ISS, Itaboraí arrecadou quase R$ 800 milhões entre 2013 e 2015. Já em 2016, devido à paralisação das obras do Comperj, essa arrecadação caiu para R$ 33 milhões. Com a retomada das atividades no complexo petroquímico, esperamos que esse montante suba para R$ 50 milhões, representando um aumento de mais de 50% na arrecadação deste imposto”, acredita.

Ele também afirma que o índice de desemprego cairá rapidamente com a volta das obras, que devem ser concluídas em 2020.

“Informações veiculadas pela imprensa afirmam que a retomada das obras abrirá 22 mil vagas, mas pelo que conheço de Itaboraí, serão cerca de sete mil. A legislação atual obriga que 70% dessas vagas sejam destinadas aos trabalhadores do município, isso diminuirá drasticamente o índice de desemprego na cidade”.

Na terça-feira, Dr. Sadinoel se reunirá com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e com os 15 prefeitos do Leste Fluminense. A pauta do encontro é a volta das obras do Comperj e seus impactos na região. A audiência foi marcada pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves.

“Esse encontro será de suma importância para a sobrevivência dos prefeitos, principalmente daqueles no primeiro mandato. Capitaneados pelo prefeito Rodrigo Neves, a gente abre a interlocução com mais facilidade na busca pela retomada do Comperj e da empregabilidade na região”, finalizou Sadinoel. 

Recuperação da economia  - A Prefeitura de Itaboraí é o maior empregador do município, o que dificulta o fortalecimento da economia local, que se encontra em crise. Para reverter o quadro, Sadinoel elencou medidas com o intuito de melhorar a situação econômica do município da Região Metropolitana.

Corte de secretarias - No mês de janeiro ocorreu um corte de 84% no número de funcionários da prefeitura, que diminuiu os gastos com  folha de pagamento em 36%. O número de secretarias também foi reduzido em 36%. “No início do ano, o gabinete da prefeitura tinha 75 servidores comissionados, que foram reduzidos para 12. Também houve uma fusão de secretarias, diminuindo de 28 para 18 pastas”, afirmou Sadinoel. 

Redução de gastos - Por sua vez, a Secretaria de Transportes estipulou uma diminuição no gasto com combustível em 50%. “Os gastos com combustíveis no ano passado eram acima do normal, em dezembro de 2016 foram R$ 89 mil, enquanto nesse mês de janeiro foram gastos R$ 32 mil. A nossa meta é que não se ultrapasse os R$ 42 mil mensais”, argumentou.

Fim do carnaval - A prefeitura de Itaboraí anunciou o cancelamento do carnaval de 2017. Segundo Sadinoel, sem o evento o município fará uma economia de quase R$ 500 mil, “que serão totalmente revertidos para a Saúde e Educação”.

Desconto no IPTU - Para estimular a arrecadação, a prefeitura ofereceu um desconto de 40% para o contribuinte que pagar o IPTU em cota única, até o dia 10 de março. De acordo com Sadinoel, o abatimento irá diminuir a inadimplência.

Microempreendedorismo - Segundo o prefeito, o incentivo ao microempreendedor também será uma das formas de fortalecer a economia. “Vamos fomentar o microempreendedor individual através da realização de exposições permanentes na floricultura municipal, que é a segunda maior produtora de flores artesanais e jardins de todo o Estado. Outra maneira de ajudar o microempreendedor é determinar que 30% da merenda escolar seja fornecida pela agricultura familiar do município”, disse.

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Scroll To Top