Assine o fluminense

PPS confirma seu apoio a Paes

Aliança foi definida em convenção que fez a indicação de Rubem César Fernandes com vice

O Partido Popular Socialista (PPS) realizou na tarde de nesta quinta-feira (2), a sua convenção estadual, na sede do partido, no Centro do Rio, e confirmou o apoio à candidatura de Eduardo Paes (DEM) ao governo do Rio de Janeiro e fez a indicação de Rubem César Fernandes, diretor da ONG Viva Rio, como vice na coligação. Fernandes era o candidato do PPS a governador, mas a legenda decidiu retirar a candidatura devido às dificuldades em fechar alianças de apoio. 

O historiador e babalaô Ivanir dos Santos, militante do movimento negro e dos Direitos Humanos, foi homologado para tentar uma vaga no Senado Federal. Além disso, foram anunciadas as alianças para a composição das eleições gerais para os cargos de deputado federal e deputado estadual da legenda. 

Pelas redes sociais, Rubem César Fernandes falou que conhece Eduardo Paes há muitos anos e que acredita na capacidade de Eduardo Paes como administrador. 

“Trabalhei com Eduardo por sete anos na Viva Rio, na área da Saúde, e nunca sofri nenhum problema. Era só estimulo para fazer mais e melhor”, afirmou. 

Paes, por sua vez, agradeceu o apoio e enalteceu a trajetória de Fernandes e lembrou dos mais de 30 anos de seu “movimento no ‘terceiro setor’, liderando diversas ações voltadas à causa da paz. Agora, traz sua experiência em nome de uma aliança que vai retomar o rumo do estado”, publicou. 

Para a disputa a uma vaga da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) o PPS fechou aliança com o PSDB. Dentre os principais nomes que concorrerão à vaga na Alerj está o de Comte Bittencourt, que tenta a reeleição; do ex-secretário de governo de São Gonçalo Rodrigo Miranda, o Tiquinho; e de Paulo Gontijo, presidente do Movimento Livres. 

Para buscar uma vaga na Câmara Federal, o PPS fechou aliança com o PSDB e o Solidariedade, e apresentou os nomes do presidente da Câmara de São Gonçalo, Dinei Marins; do vereador de Niterói Sandro Araújo; e do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero. 

O presidente do Partido da República (PR), Altineu Côrtes, havia indicado o nome de Marcelo Delaroli a vice na chapa de Paes, mas com a indicação de um nome do PPS, a legenda pode não ficar mais no apoio ao DEM para apoiar a candidatura de Romário (Pode). Contudo, a decisão só será anunciada na convenção do partido, prevista para 5 de agosto, último dia do período de convenções. 

PT – A filósofa Marcia Tiburi foi lançada ao governo do Estado, na última quarta-feira, pelo Partido dos Trabalhadores (PT), na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Centro do Rio. Na convenção também foi homologado o nome de Lindbergh Farias para a reeleição como senador. O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva será o candidato à Presidência. Apesar de ter uma condenação em segunda instância, o que faz com que Lula se enquadre na Lei da Ficha Limpa, os petistas acreditam que poderão reverter a decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Partido Verde adere à coligação 

O candidato ao Governo do Estado Eduardo Paes recebeu na tarde desta quinta o apoio do Partido Verde (PV). A presidente da sigla e secretária nacional da sigla, Carla Piranda, além de celebrar a aliança, apresentou uma agenda com pontos voltados às questões ambientais, de sustentabilidade e de direitos humanos.

“A vida me levou por outros caminhos, mas o PV é um partido que sempre olhamos com admiração. Ele tem uma identidade muito forte e uma influência muito forte na política brasileira”, destacou Paes.

O candidato ainda frisou seu compromisso com as causas ambientais e sustentáveis, as duas principais bandeiras do PV. Ele destacou que, em todo o seu segundo mandato à frente da prefeitura e depois de deixá-la, esteve diretamente ligado ao tema.

“Logo que assumi o segundo mandato, virei presidente do C-40, que é uma organização importante na discussão da mudança climática e no papel relevante que as cidades exercem nela. Meu desempenho junto ao C-40 me levou, no último ano e meio, a trabalhar no setor privado, em uma empresa que tem por missão substituir os combustíveis fósseis por energia limpa, com a produção de veículos elétricos”, ressaltou Paes.

Sobre a agenda apresentada pelo PV para contribuir com o programa de governo, Paes lembrou que vários pontos já eram por ele defendidos e foram realizados durante as suas duas gestões na Prefeitura do Rio.

“Em muitos lugares, a agenda ambiental tem a ver com a qualidade de vida, com as futuras gerações. No caso do Estado do Rio de Janeiro, não é apenas isso. Ela é um ativo econômico muito forte. As pessoas decidem morar no Rio ou sair em razão da qualidade ambiental. As pessoas decidem investir ou não em razão dos ativos ambientais. Tivemos uma experiência na Zona Oeste da cidade, em que fizemos a concessão do tratamento de esgoto, que gerou não só uma receita para a prefeitura como um enorme benefício à população”, acrescentou Paes.

A presidente do partido no Rio, Carla Piranda, ressaltou a grave crise que o estado vem enfrentando e elogiou a capacidade de gestão do ex-prefeito.

“O Rio está passando por uma fase que nunca vi acontecer. Entendemos que o Eduardo pode trazer de volta a autoestima do carioca e do fluminense. Ele sempre demonstrou muito amor pelo Rio e tem uma inegável capacidade de gestão”, afirmou Carla Piranda, ao lado de lideranças do PV, como o vice-presidente do PV/RJ, Roberto Rocco, o secretário executivo de Niterói e membro da executiva estadual, Axel Grael, e o deputado estadual André Corrêa (PV-RJ).

Faça seu login ou cadastre-se para enviar seus comentários

Comentários

Veja também

Scroll To Top