NITERÓI/RJ
Min:   Max:

STF suspende investigação a senador Flávio Bolsonaro

Presidente do Supremo, Dias Toffoli atendeu pedido da defesa do senador

Nelson Jr/STF

Atendendo a um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ ), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu as investigações que utilizem dados detalhados de órgãos de controle, como Coaf, Receita Federal e Banco Central, sem autorização judicial.

A decisão foi tomada durante o plantão de recesso do Judiciário e foi tomada na segunda-feira (dia 15) e divulgada na terça (16). A determinação é de que todos os processos aguardem por uma prévia decisão da Corte.

Filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, o senador era investigado desde o início do ano por movimentações suspeitas em sua conta devido a depósitos realizados pelo seu ex-assessor Fabrício Queiroz. O processo do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) foi iniciado a partir de relatórios do Coaf, que identificaram movimentações suspeitas entre as contas de Queiroz e Flávio Bolsonaro. 

Segundo o Coaf, funcionários do gabinete de Flávio, quando deputado estadual na Alerj, faziam transferências regulares para a conta de Queiroz no dia de pagamento de salário no próprio autoatendimento da agência da Assembleia Legislativa. 

Carlos Fernando dos Santos Lima, ex-procurador da Lava Jato, usou as redes sociais para criticar a decisão que classificou como uma “monstruosidade jurídica”, fazendo críticas duras a Dias Toffoli, afirmando que é “triste o país que tem pessoas como ele em posições que não merecem”. 

A procuradora da República Janice Ascari, da Lava Jato São Paulo, também usou as redes para criticar a decisão. 

“Toffoli suspendeu todas as investigações criminais no país inteiro está em segredo de Justiça e que as informações estão inacessíveis”, publicou. 

A deputada estadual Janaina Paschoal, do PSL-SP, partido de Bolsonaro, disse que a decisão “pode significar uma derrota considerável na guerra contra a corrupção”, postou. 

Scroll To Top